PATROCINADORES

Rússia proíbe entrada do primeiro-ministro japonês

O país já barrou o presidente dos EUA Joe Biden, e os primeiros-ministros britânico, Boris Johnson, e canadense, Justin Trudeau

A Rússia informou nesta quarta-feira (4) que proibirá a entrada do primeiro-ministro japonês Fumio Kishida e de autoridades de alto escalão por um período indefinido em meio às crescentes tensões entre os dois países devido à crise na Ucrânia.

A proibição de entrada, anunciada pelo Ministério das Relações Exteriores da Rússia, visa 63 cidadãos japoneses, incluindo o ministro das Relações Exteriores Yoshimasa Hayashi, o ministro da Defesa Nobuo Kishi e o secretário-chefe do gabinete Hirokazu Matsuno. Executivos de organizações de mídia japonesas e professores universitários também foram incluídos na lista.

Rússia x Japão

Visto como uma retaliação à série de medidas punitivas do governo japonês contra a Rússia desde que começou a atacar a Ucrânia no final de fevereiro, o ministério acusou Tóquio de lançar uma “campanha anti-russa sem precedentes com retórica inaceitável” e prejudicar sua economia e prestígio internacional. Com os Estados Unidos e países europeus, o Japão implementou uma série de sanções contra a Rússia por sua invasão da Ucrânia, incluindo o congelamento dos bens do presidente russo Vladimir Putin e seus subordinados.

A Rússia já impediu vários líderes ocidentais de entrar no país, incluindo o presidente dos EUA Joe Biden, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson e o primeiro-ministro canadense Justin Trudeau, em retaliação às sanções impostas pelos países.

No mês passado, o parlamento do Japão deu luz verde para retirar a Rússia do status comercial de “nação mais favorecida”, fazendo com que perdesse benefícios como tarifas baixas. Também expulsou oito russos, incluindo diplomatas da Embaixada da Rússia em Tóquio. A Rússia informou na semana passada que também expulsará oito diplomatas japoneses.

O que MONEY REPORT publicou

Compartilhe

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pergunte para a

Mônica.

©2017-2020 Money Report. Todos os direitos reservados. Money Report preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe.