PATROCINADORES

Lituânia é o primeiro da UE a cortar totalmente a importação de gás russo

Presidente Gitanas Nauseda pediu que outros membros do bloco façam o mesmo. Estônia e Letônia optaram por sançãotemporário

A Lituânia se tornou o primeiro país da UE a cortar completamente o fornecimento de gás russo, com os outros dois estados bálticos também interrompendo temporariamente seu fluxo em resposta à invasão da Ucrânia por Moscou. O governo da Lituânia afirmou que cortou totalmente as importações de gás da Rússia, passando a consumir gás natural liquefeito extraído que desembarca em seu terminal, o Independence.

Em 2015, quase 100% do gás consumido pela Lituânia vinha da Rússia, mas a situação mudou drasticamente nos últimos anos após o país ter construído um terminal offshore de importação de gás natural liquefeito (GNL) na cidade portuária de Klaipeda.

“A partir de agora, na Lituânia não consumirá um centímetro cúbico de gás russo tóxico. A Lituânia é o primeiro país da UE a recusar a importação de gás russo”, escreveu Ingrida Simonyte, primeira-ministra da Lituânia.

O presidente da Lituânia, Gitanas Nauseda, pediu que outros países europeus façam o mesmo.

Independência

Autoridades lituanas comentaram que a independência energética é o último passo para cortar os laços com Moscou. Eles restabeleceram sua independência formal em 1990, aderiram à UE e à Otan em 2004 e abriram seu próprio terminal de GNL no porto de Klaipeda em 2014.

O gás russo parou de fluir para a Estônia e a Letônia também no início do mês, informou o chefe da Conexus Baltic Grid, uma operadora letã de armazenamento. Os demais países bálticos também estão tentando se livrar de outras fontes de energia russa e pretendem sincronizar suas redes elétricas com o resto da Europa, abandonando Moscou e Bielorrússia até 2025.

Os operadores de rede da Dinamarca, Finlândia, Noruega e Suécia se comprometeram na semana passada a ajudar os países bálticos se a Rússia de repente parasse de exportar eletricidade para eles. “Em tal cenário, será necessário o suporte de frequência do sistema nórdico”, disseram as quatro operadoras em comunicado conjunto.

Outros países europeus estão correndo para acabar com sua dependência do petróleo russo. A Alemanha disse que pretende ser “virtualmente independente” do petróleo russo até o final deste ano e do gás até meados de 2024. Os líderes da UE decidiram no mês passado comprar gás natural em conjunto de outras fontes.

O que MONEY REPORT publicou

Compartilhe

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pergunte para a

Mônica.

©2017-2020 Money Report. Todos os direitos reservados. Money Report preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe.