Document
PATROCINADORES

Risco de calote de gigante chinesa e restrições ao aço causam o pior dia do ano

O Ibovespa fechou a segunda-feira (20) com forte queda de 2,33%, aos 108.842 pontos, acompanhando o cenário global de perdas causado pela crise na China, que derruba as duas maiores ações do índice: Vale e Petrobras. Foi o pior desempenho desde 23 de novembro de 2020 (107.378). Na China, a Evergrande, uma das maiores incorporadoras do país, corre risco de não pagar suas dívidas, enquanto as restrições à indústria do aço continuam a derrubar os preços do minério de ferro. O resultado é um cenário de tensão em uma semana já agitada por novas decisões monetárias nos Estados Unidos e no Brasil. O dólar teve alta de 1,32%, cotado no encerramento em R$ 5,35. Com isso, atingiu o nível de fechamento mais alto desde 23 de agosto, quando alcançou R$ 5,38.

As ações mais valorizadas na sessão foram preferenciais da Copel (4,68%) e da Sabesp (1,81%). Todas as cinco mais negociadas sofreram depreciação: Vale (-3,3%), preferenciais da Petrobras (-1,12%), preferenciais do Bradesco (-3,75%), preferenciais do Itaú Unibanco (-2,26%) e PetroRio (-5,68%). O volume na sessão foi de R$ 35,12 bilhões.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.