Document
PATROCINADORES
PATROCINADORES

Djokovic sai da Austrália após perder recurso judicial

A estrela do tênis Novak Djokovic voou para fora da Austrália neste domingo(16) depois que um tribunal confirmou a decisão do governo de cancelar seu visto, encerrando dias de drama sobre as regras de entrada do covid-9 no país e seu status não vacinado. A decisão unânime de um banco de três juízes do Tribunal Federal deu um golpe final nas esperanças de Djokovic de perseguir um recorde de 21 vitórias em Grand Slam no Aberto da Austrália, que começa na segunda-feira (17).

O jogador sérvio foi ao aeroporto de Melbourne poucas horas depois. Agentes federais escoltaram ele e sua equipe do salão de negócios até o portão, onde ele embarcou em um voo da Emirates com destino a Dubai. O voo decolou pouco antes das 23h.

Em uma montanha-russa, o melhor jogador do mundo foi detido pelas autoridades de imigração em 6 de janeiro, liberado por um tribunal em 10 de janeiro e depois detido novamente no sábado (15), aguardando a audiência de domingo. Djokovic disse após a decisão que ficou extremamente desapontado, pois isso significava que ele não poderia participar do torneio. “Respeito a decisão do Tribunal e vou cooperar com as autoridades competentes em relação à minha saída do país”, disse ele em comunicado, desejando boa sorte no torneio.

Djokovic, 34, havia apelado contra o uso de poderes discricionários do ministro da Imigração Alex Hawke para cancelar seu visto. O ministro disse que Djokovic poderia ser uma ameaça à ordem pública porque sua presença incentivaria o sentimento anti-vacinação em meio ao pior surto de coronavírus da Austrália. consulte Mais informação

O chefe de justiça James Allsop disse que a decisão do tribunal foi baseada na legalidade e legalidade da decisão do ministro no contexto dos três fundamentos de apelação apresentados pela equipe jurídica de Djokovic. “Não faz parte da função do tribunal decidir sobre o mérito ou a sabedoria da decisão”, informou Allsop, acrescentando que os três juízes foram unânimes em sua decisão. O raciocínio completo por trás da decisão será divulgado nos próximos dias, completou ele.

A saga do visto do jogador dominou as manchetes em todo o mundo e alimentou um debate sobre os direitos das pessoas que optam por permanecer não vacinadas enquanto os governos tomam medidas para proteger seu povo da pandemia de coronavírus de dois anos. A controvérsia tornou-se uma pedra de toque política para o primeiro-ministro Scott Morrison enquanto ele se prepara para uma eleição marcada para maio. Seu governo enfrentou críticas por lidar com o pedido de visto de Djokovic.

Morrison saudou a decisão do tribunal, dizendo que a decisão ajudará a “manter nossas fronteiras fortes e manter os australianos seguros”. “Agora é hora de continuar com o Aberto da Austrália e voltar a curtir o tênis durante o verão”, disse ele em comunicado.

Djokovic recebeu um visto para entrar na Austrália, com uma infecção por covid-19 em 16 de dezembro fornecendo a base para uma isenção médica das exigências da Austrália de que todos os visitantes sejam vacinados. A isenção foi organizada pela Tennis Australia. Essa isenção provocou raiva generalizada na Austrália, que passou por alguns dos bloqueios mais difíceis do mundo por covid-19 e onde mais de 90% dos adultos são vacinados. O governo disse que a infecção recente por si só não atendeu aos seus padrões de isenção.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pergunte para a

Mônica.

©2017-2020 Money Report. Todos os direitos reservados. Money Report preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe.