Document
PATROCINADORES
PATROCINADORES

Como viajar à Europa antes que a ômicron feche fronteiras

A melhora na taxa de vacinação brasileira fez as fronteiras da Europa serem novamente abertas em alguns países do bloco e do Espaço Schengen. Por exemplo, Espanha, Finlândia, Inglaterra, Portugal e Suíça são algumas das nações que aceitam a entrada de turistas do Brasil totalmente vacinados. Alemanha e França também aceitam, mas fazem restrições à CoronaVac. Diante da possibilidade de fechamento de fronteiras diante do risco da cepa ômicron é um futuro próximo, saiba o que é exigidom

Alemanha

O país deixou de considerar o Brasil como área de alto risco desde 19 de setembro. No entanto, as restrições de entrada da UE ainda se aplicam quando passageiros do Brasil entram na Alemanha. De acordo com a Embaixada da Alemanha no Brasil, as exceções às restrições de entrada se aplicam aos seguintes grupos:

  • Cidadãos alemães e seus familiares (cônjuge, filhos menores não casados, pais de filhos menores);
  • Cidadãos da UE e cidadãos do Liechtenstein, Suíça, Noruega e Islândia e seus familiares do chamado “núcleo familiar” (cônjuge, filhos menores não casados, pais de filhos menores);
  • Nacionais de países terceiros com um direito de residência de longa duração em um Estado da UE ou de Schengen e membros da sua família do chamado “núcleo familiar”;
  • Pessoas totalmente vacinadas com um imunizante aprovado pela União Europeia (Pfizer-Biotech, Janssen-Johnson&Johnson, Moderna e AstraZeneca). O país aceita também a chamada vacinação cruzada, em que a pessoa toma a AstraZeneca na primeira dose, e a Pfizer ou Moderna (ainda não aplicada no Brasil) na segunda dose;
  • Pessoas que têm um motivo importante para viajar, em específico: a) com uma razão imprescindível para a entrada; determinados viajantes de negócios, visitantes ou expositores de feiras e participantes de congressos; parceiros não casados em determinados casos;
  • Desde que tenha direito a entrar na Alemanha (veja em “Exceções às restrições de entrada” acima), mas não tenha uma vacinação com um imunizante reconhecido na Alemanha, deve apresentar uma das seguintes comprovações:
  • Comprovação via teste negativo: caso não esteja imunizado ou esteja com alguma vacina não reconhecida pela Alemanha, como a CoronaVac, deverá apresentar, ao entrar, um teste de covid-19 negativo. Podendo ser um teste PCR (no máximo há 72 horas) ou um teste de antígeno (coletado no máximo há 48 horas);
  • Menores de 12 anos estão isentos da obrigação de apresentar comprovantes. Menores de 12 anos de idade devem estar acompanhadas por um responsável com o esquema vacinal completo ou na situação acima, com testes negativos;
  • Não há mais obrigatoriedade de quarentena.

Espanha

Desde 24 de agosto deste ano, os brasileiros com o esquema vacinal completo podem entrar na Espanha sem necessidade de realizar quarentena.

  • Pessoas vacinadas: qualquer pessoa completamente vacinada 14 dias antes da viagem pode entrar na Espanha simplesmente apresentando o certificado de vacinação correspondente. Para obter mais informações sobre o certificado de vacinação;
  • Não vacinados: devem cumprir fazer teste PCR com diagnóstico em espanhol ou em inglês. Espanhóis e outros nacionais da União Europeia e do Espaço Econômico Europeu, documentado com o respectivo passaporte válido;
  • Cônjuges ou parceiros com uniões estáveis de cidadãos espanhóis e nacionais da UE e do Espaço Econômico Europeu que viajem ou se reúnam com o cidadão espanhol ou europeu, documentados com certidão de casamento ou união estável. Todos os certificados brasileiros devem ser apostilados em cartório, sem necessidade de tradução. Os documentos de um país da UE não precisam da apostila de Haia;
  • Filhos menores de 21 anos de cidadãos espanhóis ou nacionais da UE e do Espaço Econômico Europeu que viajem ou se encontrem com cidadão espanhol ou europeu, comprovados com livro de família espanhol ou certidão de nascimento e cópia do passaporte do cidadão europeu;
  • Pessoal diplomático e consular, de organizações internacionais, militares, da proteção civil e membros de organizações humanitárias, no exercício das suas funções devem obter uma autorização por meio de seu consulado;
  • Aqueles que realizam seus estudos em um país da UE ou Estado Schengen associado e que possuam a correspondente autorização ou visto de estadia de longa duração, desde que se dirijam ao país onde estudam, e que a entrada ocorra durante o ano letivo ou nos 15 dias anteriores. Se o destino for a Espanha e a duração da estada for de até 90 dias;
  • O site da Embaixada da Espanha no Brasil informa que casais europeus não registrados e parentes de brasileiros com autorização de residência na Espanha ainda não podem entrar na Espanha;
  • Todos os passageiros que chegam à Espanha devem passar por um exame de saúde no aeroporto de entrada que incluirá, no mínimo, uma medição de temperatura, uma verificação documental e uma verificação visual de seu estado. As autoridades de saúde podem realizar um teste de antígeno;
  • Desde 24 de agosto não é necessário submeter-se a quarentena;
  • Todos os passageiros do Brasil com mais de 12 anos devem ter um dos seguintes certificados: os passageiros que foram vacinados com um regime completo de Pfizer, AstraZeneca, Janssen ou CoronaVac, pelo menos 14 dias antes de sua chegada à Espanha, não precisarão fornecer nenhum teste diagnóstico adicional. É possível que lhes possam fazer um teste de diagnóstico na chegada, se a autoridade de saúde considerar necessário.

Finlândia

As fronteiras do país nórdico estão abertas desde 26 de julho, inclusive para os turistas brasileiros. Já cidadãos brasileiros não vacinados podem entrar no país somente se configurarem algum dos casos de exceção.

  • Além de turistas, é permitida a entrada no de cidadãos finlandeses e do núcleo familiar (cônjuges, filhos menores, pais de filhos menores); cidadãos da UE com residência na Finlândia; cidadãos de países terceiros com autorização de residência na Finlândia; estrangeiro de qualquer nacionalidade que esteja em um relacionamento com um cidadão finlandês ou estrangeiro residente na Finlândia; e estrangeiros com outras razões essenciais, incluído laços familiares;
  • As autoridades finlandesas reconhecem as seguintes vacinas: Pfizer, Moderna, AstraZeneca, Janssen, Sinopharm, Sinovac/Coronavac. A imunização é considerada completa somente após 7 dias da segunda dose da vacina ou da dose única da Janssen;
  • Todos os passageiros de países de alto risco que chegam à Finlândia (inclusive os vacinados) serão direcionados após o desembarque a um ponto de atendimento para a realização de um exame de saúde obrigatório;
  • Os passageiros acima de 16 anos devem apresentar comprovante de vacinação completa ou comprovante da primeira dose; teste PCR negativo ou antígeno realizado nas 72 horas que antecedem a entrada na Finlândia; ou laudo com diagnóstico de covid-19 nos últimos seis meses. Os documentos listados que estiverem redigidos em português devem ser traduzidos para o inglês com tradutor juramentado;
  • Caso o passageiro que se configurar em um dos casos de exceção e não possuir nenhum dos documentos listados acima, as autoridades no aeroporto irão solicitar dois testes PCR na Finlândia (serviço gratuito). O primeiro teste será realizado ao chegar no aeroporto de Helsinque, e o segundo teste entre três e cinco dias após a chegada;
  • Uma vez que não existem voos diretos entre Brasil e Finlândia, os passageiros deverão observar as restrições do país onde farão escala;

França

De acordo com a Embaixada da França no Brasil, as regras para a entrada de viajantes no território francês variam de acordo com a situação vacinal do passageiro. Atualmente, o Brasil está na lista vermelha do governo.

  • Os viajantes totalmente vacinados podem entrar no país se apresentarem um comprovante de vacinação completa e uma declaração solene na qual garantem não apresentar nenhum sintoma e não ter tido contato com pessoas que testaram positivo para a covid-19;
  • O esquema vacinal é considerado completo nos seguintes casos: 28 dias após a administração da dose única da Janssen; sete dias após a administração da segunda dose das demais vacinas reconhecidas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) como a Pfizer, Moderna, a da AstraZeneca (Vaxzeria/Covishield); sete dias após a administração de uma dose complementar com uma vacina de RNA (Pfizer ou Moderna) para os imunizados com a CoronaVac. Os viajantes totalmente vacinados não precisam cumprir quarentena ao chegar na França;
  • Os passageiros não vacinados deverão apresentar às autoridades de fiscalização um documento que comprove o motivo imperioso da viagem, bem como um teste PCR ou de antígeno, com resultado negativo, realizado 48 horas antes do embarque;
  • Os viajantes não vacinados deverão ainda fazer uma quarentena;
  • Os viajantes menores de 12 anos estão dispensados de apresentar o teste;
  • Aqueles que receberam as duas doses da CoronaVac, mas não receberam a dose complementar da Pfizer ou Moderna, são considerados “não vacinados” e só entram na França se apresentarem algum motivo imperioso;

Holanda

A Holanda alterou a classificação do Brasil em 4 de setembro de “área de risco muito alto e de preocupação com variantes” para “área de alto risco”. Assim, passageiros provenientes do Brasil totalmente vacinados podem entrar no país europeu, mas terão que realizar uma quarentena obrigatória de dez dias, com algumas exceções.

  • Desde 22 de setembro, os passageiros totalmente vacinado saídos do Brasil não precisam fazer quarentena obrigatória;
  • São aceitas as vacinas aprovadas pela EMA e pela Organização Mundial da Saúde (OMS): Pfizer; AstraZeneca (Vaxzevria ou Covishield); Janssen; Moderna; CoronaVac e Sinopharma;
  • A imunização é considerada completa após os seguintes prazos: 14 dias após a segunda dose ou 28 dias após a dose única da Janssen;
  • O país europeu aceita o comprovante de vacinação (físico ou digital) emitido pelo Ministério da Saúde do Brasil em português;
  • Os passageiros (de 12 anos ou mais) que desembarcam na Holanda devem apresentar um teste negativo de covid-19. Eles têm duas opções: um teste PCR negativo realizado até 48 horas antes da partida; ou um teste rápido de antígeno negativo realizado 24 horas antes do embarque para a Holanda;
  • Se estiver viajando para um país da UE ou Espaço Schengen através da Holanda, o viajante deve mostrar que tem permissão para entrar no destino final em questão. O governo holandês frisa ainda que, quem estiver viajando para outro país com conexão na Holanda precisa mostrar o resultado negativo do teste de covid-19.

Inglaterra

Devido ao surgimento da variante ômicron, a Inglaterra modificou as regras de entrada no país desde as 4 horas da manhã de 30 de novembro. Confira:

  • Antes de viajar, os totalmente vacinados que saíram do Brasil, independentemente da nacionalidade – devem agendar e pagar por um teste de covid-19 a ser realizado no segundo dia após a chegada no país e, ainda, preencher o formulário de localização de passageiros. A pessoa só deverá deixar a quarentena se o resultado do teste for negativo. Detalhe importante: se o passageiro chegar até às 4 horas da manhã de 30 de novembro, poderá escolher entre os testes antígeno ou PCR. A partir das 4 horas da manhã de 30 de novembro deverá fazer apenas o PCR;
  • O governo britânico frisa que, a partir das 4 horas da manhã de 30 de novembro, os testes de antígeno não serão mais aceitos;
  • A Inglaterra aceita: AstraZeneca, Pfizer, Moderna, Janssen, Coronavac, Sinopharm e Covaxin. A imunização é considerada completa 14 dias depois da segunda dose ou da dose única da Janssen;
  • O comprovante de vacinação deverá ser emitido por uma autoridade pública de saúde nacional ou estadual, estar em inglês, francês ou espanhol e conter no mínimo os seguintes dados: nome e sobrenome; data de nascimento; marca e fabricante do imunizante; data da vacinação para cada dose; e país de vacinação ou emissor do certificado;
  • Após chegar ao país, o passageiro deverá fazer quarentena por dez dias em casa ou no lugar onde ficará hospedado (não necessariamente num hotel); realizar o teste de covid-19 pré-reservado no segundo e no oitavo dia ou depois. Quem permanecer na Inglaterra por menos de 10 dias deverá ficar em quarentena pelo tempo que estiver no país. O passageiro deve reservar os testes do segundo e oitavo dias, mas só precisa fazê-los se ainda estiver na Inglaterra nesses dias;
  • O viajante pode encerrar a quarentena no quinto dia se optar por um esquema chamado “Test to Release” (Teste para liberação). Para isso, ele deve pagar por um teste de covid-19 privado no quinto dia;
  • As novas regras acima só valem para a Inglaterra. As nações que formam o Reino Unido (Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales) possuem autonomia para impor suas próprias medidas;

Irlanda

O país reabriu suas fronteiras aos brasileiros. O país não pede nenhum teste ou quarentena se o passageiro apresentar um comprovante válido de vacinação ou de recuperação da covid-19.

  • A Irlanda aceita as vacinas aprovadas pela EMA com a Pfizer, Moderna, AstraZeneca (Vaxzevria e Covishield) e Janssen;
  • A imunização é considerada completa após os seguintes prazos: 15 dias após a segunda dose da AstraZeneca; sete dias após a segunda dose da Pfizer-Biontech; e 14 dias após a segunda dose da Moderna ou da dose única da Janssen;
  • Já o comprovante de recuperação da covid-19 deverá ser em inglês ou irlandês; ou uma tradução oficial para o irlandês ou inglês;
  • O passageiro que não foi totalmente vacinado deve apresentar um teste PCR negativo realizado menos de 72 horas antes da chegada ao país;
  • Além disso, deverá fazer uma autoquarentena por 14 dias. Se o viajante apresentar um teste PCR negativo a partir do quinto dia após a chegada no país europeu, o isolamento poderá ser encerrado.

Itália

  • A Itália proibiu a entrada e o trânsito de pessoas que tenham permanecido ou transitado no Brasil nos 14 dias anteriores à viagem. A Embaixada da Itália no Brasil afirma que a entrada e o tráfego aéreo somente são permitidos desde que o passageiro não tenha nenhum sintoma da covid-19 para aqueles com residência fixa e registrada na Itália anterior a 13 de fevereiro de 2021 (com autodeclaração, sem autorização do Ministério da Saúde); pessoas que devem alcançar domicílio, residência ou habitação de filhos menores, cônjuge ou parte de união civil;
  • Todos os passageiros têm a obrigação de mostrar um certificado de teste PCR ou antígeno negativo realizado nas 72 horas anteriores ao ingresso no país; e realizar um teste molecular ou de antígeno na chegada ao aeroporto no prazo de 48 horas;
  • Independentemente do resultado do teste de covid-19, os viajantes deverão cumprir uma quarentena de 10 dias. Após esse período, eles deverão realizar mais um teste de covid-19.

Portugal

O governo português liberou a entrada de turistas brasileiros. Com a flexibilização, passageiros saídos do Brasil (totalmente vacinados ou não) podem entrar no país europeu e não precisam fazer quarentena após a chegada.

  • A partir de 1º de dezembro, todos os passageiros totalmente vacinados ou não, independentemente do aeroporto de origem e nacionalidade, devem apresentar um teste negativo de PCR realizado nas 72 horas antes do embarque ou um teste rápido de antígeno feito nas 24 horas anteriores à viagem;
  • Mas, até 30 de novembro, vale ainda a seguinte regra: quem foi vacinado na UE e possui o certificado digital aceito pelos países do bloco não precisa realizar nenhum teste para embarcar.

Suíça

A entrada na Suíça é possível para cidadãos suíços, da UE/Associação Europeia de Comércio Livre (EFTA, em inglês), assim como para pessoas que têm autorização de residência suíça válida e viajantes totalmente vacinados de países terceiros, como os cidadãos brasileiros.

  • Os imunizantes aceitos são: Pfizer, Moderna, Janssen, AstraZeneca, Coronavac, Sinopharm e AstraZeneca (Covishield);
  • A entrada é permitida 11 dias após a aplicação da segunda dose das vacinas aceitas;
  • Os imunizados com o imunizante de dose única da Janssen devem aguardar 22 dias após a data de vacinação para embarcar;
  • Os viajantes podem apresentar o comprovante de vacinação em papel que foi fornecido pelo posto de vacinação brasileiro;
  • Os passageiros (exceto os que estão em trânsito) devem preencher um formulário eletrônico antes de entrar na Suíça.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.

©2017-2020 Money Report. Todos os direitos reservados. Money Report preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe.