Document
PATROCINADORES

Some com BTG; humanos vulneráveis; respeito à cibersegurança

Boletim de MONEY REPORT sobre questões ambientais, sociais e de governança no mundo dos negócios

Social

10 instituições para acelerar

O BTG Pactual abriu inscrições para a nova rodada do BTG Soma, seu programa de aceleração de iniciativas sociais. Nessa terceira edição, este ano a iniciativa busca dez instituições que precisem de apoio profissional e estrutural para ampliar o alcance de suas ações.

Inscrições
De 6 de outubro até 3 de dezembro.
No site: https://prosas.com.br/editais/10034-btg-soma-iii?locale=en&utm_source=btgsoma

Governança

Cibersegurança deve ser assunto do conselho, diz CEO da Sikur

Fischer: “Mudança da mentalidade analógica”

MONEY TALKS ouviu Fabio Fischer, CEO da Sikur, que lança um alerta: as questões de tecnologia e segurança cibernética precisam sair com urgência do âmbito dos departamentos de TI para adentrar às reuniões dos conselhos como um tópico de governança corporativa. Fischer comentou a necessidade de mudança na cultura dos altos escalões, pois de nada valem todos os protocolos se entre os conselheiros seniores, com mentalidade analógica, há trocas de informações estratégicas por meios não criptografados, abrindo brechas para espionagem e ataques de ransonware.

Ambiental

Reinecke: “complexidade da questão climática”

Somos vulneráveis às mudanças climáticas, diz Reinecke, do King’s College

Na primeira quinzena de novembro, líderes globais se reunirão em Glasgow, na Escócia, para a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, a COP26. Em um webinar promovido pela Aberje, Juliane Reinecke, professora de gestão internacional e sustentabilidade da Escola de Negócios do King’s College de Londres, disse que os negociadores da COP26 terão um grande desafio para chegar a um acordo. “Sabemos onde queremos chegar, mas como fazer isso é o xis da questão, assim como alcançar esses objetivos de forma justa e inclusiva”. Reinecke acrescentou que a proteção do meio ambiente nos moldes atuais não é suficiente para mitigar os problemas climáticos.

____________________________________________________

Informe Publicitário

_____________________________________________________

Declaração de Kunming pede ação urgente

Mais de 100 países se comprometeram em colocar a proteção de habitats no centro das decisões dos governos, mas não chegaram a se comprometer com metas específicas para conter extinções. O ministro do Meio Ambiente da China, Huang Runqiu, disse aos delegados da Conferência da ONU sobre Biodiversidade, a COP15, que ocorre na cidade de Kunming, que a declaração é um documento de vontade política, não um acordo internacional.

Promessas do Brasil de desmatamento zero antes de 2030

O ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, disse que o Brasil apresentará sua meta para zerar o desmatamento ilegal antes de 2030 durante a COP26. O compromisso já foi declarado pelo presidente Jair Bolsonaro, em abril, na Cúpula de Líderes sobre o Clima. Com a medida, haveria cerca de 50% de redução nas emissões de gases de efeito estufa.

Rio ganha central recicladora de lixo eletrônico

A capital fluminense é a sétima cidade brasileira a criar uma central de coleta de lixo eletrônico reciclável à população. A meta do Ministério do Meio Ambiente (MMA) é que, até o fim de novembro, pontos semelhantes estejam instalados em dez capitais.

Instalações solares residenciais crescem 2.000%

Com 48% de sua matriz energética vinda de fontes renováveis, contra uma média mundial de 14%, o Brasil expande e diversifica suas bases, em especial com o emprego solar residencial. De acordo com Paulo César Domingues, secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia (MME), em três anos houve um aumento de 2.000% na energia solar distribuída (painéis em telhados). Já na energia solar centralizada (usinas solares), o crescimento foi 200%. O país tem 10 gigawatts de capacidade instalada, o equivalente a 70% de Itaipu.

__________________________________________

Informe Publicitário

_________________________________________

Plug Power aposta nos aviões a hidrogênio da Airflow

A startup de aviação elétrica Airflow vai desenvolver um sistema de propulsão em parceria com a Plug Power, que cria células de combustível de hidrogênio que substituem baterias convencionais em equipamentos e veículos. As empresas não divulgaram o tamanho do investimento, mas o acordo representa o esforço da Plug em explorar o hidrogênio como combustível limpo para aviação.

O Acordo de Paris e o futuro

Seis anos após a divulgação do Acordo de Paris, que estabelece medidas para redução das emissão de gases de efeito estufa, em especial CO2, há dúvidas sobre as ações práticas e a efetividade do tratado. É o caso do artigo sexto, que será um dos temas centrais da COP26. A falta de regulamentação até o momento se dá pela complexidade técnica de garantir que o corte nas emissões mantenha a elevação climática abaixo de 2˚C em relação aos níveis pré-industriais se estabelecendo um patamar médio de aquecimento por volta de 1,5˚C.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.