Document
PATROCINADORES

Empréstimos sustentáveis; startups climáticas; infra para o pós-crise

O boletim de MONEY REPORT sobre questões ambientais, sociais e de governança no mundo dos negócios

Dinheiro

Mercado europeu avalia positivamente os investimentos em ESG

Os empréstimos vinculados ao ESG (sigla em inglês para questões ambientais, sociais e de governança) são um segmento crescente no mercado de crédito corporativo. Dos € 102 bilhões emitidos na Europa durante 2019, € 35 bi eram verdes e € 67 bi, vinculados à sustentabilidade. Cerca de 190 bancos e mais de 3 mil gestores de ativos adotaram os princípios de investimentos sustentáveis das Nações Unidas.

Ambiental

ONU busca startups que criem soluções para o clima

O rastreio das iniciativas é do CivTech Alliance COP26 Global Scale-Up Programme, que vai selecionar 20 empresas para a conferência climática da ONU, em 1° novembro, na Escócia. O programa conta com a participação da InvestSP, agência estadual de investimentos, do IdeiaGov, hub de inovação do governo paulista, e do BrazilLAB, hub govtech para a novação pública.

Doria assina decreto para diminuir emissão de dióxido de carbono

São Paulo entrou no programa Race to Zero, da Organização das Nações Unidas (ONU), que pretende reduzir a emissão de gases de efeito estufa, principalmente CO2. Doria listou cinco pontos a serem seguidos pelo Estado e disse ter “metas intermediárias” de ação a serem seguidas até 2050, incluindo garantias de segurança hídrica e alimentar.

Governança

Infraestrutura é a aposta para o pós-crise, diz Lam-Frendo, do G20

Marie Lam-Frendo, CEO do Global Infrastructure Hub

O lema no Global Infrastructure Hub, entidade do G20 dedicada a monitorar projetos de infraestrutura, é construir uma agenda “sustentável, resiliente e inclusiva”. Mais que um horizonte distante, essas precisam ser as palavras mágicas para o século 21, defende Marie Lam-Frendo, CEO da organização.

Máquina pública teve encolhimento recorde de 38%

O Painel Estatístico de Pessoal (PEP) do governo federal mostra que a aparato estatal sofreu um enxugamento 37,6% desde 2014. O levantamento incluiu ministérios, fundações, agências reguladoras e órgãos, como INSS, IBGE, Ibama e Incra. Hoje são 208 mil servidores estatutários. No auge, em 2007, eram 333,1 mil. A diminuição se acentuou com a aprovação do teto de gastos, em 2015.

Govtech cria ferramenta para racionalizar códigos tributários municipais

Como não dá para um sistema arrecadatório ser eficiente sem um mínimo de modernização e flexibilização, a startup Gove foi criada para ajudar a resolver o problema. Baseados em dados e projeções, eles desenvolveram uma ferramenta eletrônica – e um guia – para ajudar a arrumar contas e reduzir a sonegação, permitindo que administrações municipais comprometidas possam até reduzir suas cargas.

Social

Quem estará no ESG Day de MONEY REPORT

O seminário MONEY REPORT | Agenda de Líderes “ESG Day”, que ocorrerá em 4 de agosto (quarta-feira), abordará os aspectos mais urgentes nas questões ambientais, sociais e de governança corporativa. Entre os painelistas e debatedores, Celso Athayde, fundador da Central Única das Favelas, Fabio Barbosa, presidente da Fundação Itaú, Filipe Sabará, empreendedor e gestor público, Jacob Rosenbloom, fundador e CEO da Levee, Jacques Meir, cofundador do Grupo Padrão e criador do WHOW, Regina Nunes, CEO e sócia fundadora da RNA Capital, Reynaldo Gama, CEO da HSM, e Stéphane Engelhard, vice-presidente do Carrefour Brasil. O evento virtual será transmitido ao vivo por MONEY REPORT. Marque na agenda.

Saneamento vai reduzir a desigualdade, diz presidente do BNDES

“Daqui uns 10, 15 anos, quando a gente olhar para trás, possivelmente [o Marco Legal] será o evento que foi, na nossa história recente, o maior evento de redução de desigualdade social do Brasil”, disse Gustavo Montezano, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES).

Estados atrasam definições para concessões do saneamento

Como apenas 12 dos 26 estados definiram quais serão as regras para as concessões de blocos regionais de saneamento, o governo federal poderá intervir. O objetivo de tornar o serviço mais atrativo à iniciativa privada, unindo cidades populosas a outras onde a atividade é menos rentável. O resultado deve ser água potável e saneamento básico para milhões de brasileiros.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.