PATROCINADORES

Perspectiva de alta dos juros emplaca 8ª queda

O Ibovespa fechou em baixa de 0,52% nesta terça-feira (14), aos 102.063 pontos. O patamar mais baixo desde 10 de janeiro (101.945). Uma queda abaixo de 101.000 zeraria os ganhos do ano. O dólar subiu 0,38%, cotado a R$ 5,13 no encerramento. O câmbio mais desfavorável ao real desde 12 de maio (R$ 5,14). As negociações recuaram pelo oitavo dia consecutivo, na maior série de perdas desde setembro de 2015. Investidores continuam evitando riscos maiores. Na véspera das decisões do Comitê Federal de Mercado Aberto dos Estados Unidos e do Comitê de Política Monetária (Copom), o mercado se posiciona com cautela – e espera, agora, por uma alta de juros 0,75 ponto percentual nos EUA, ante projeção anterior de 0,50 ponto. Na toada desse movimento, os rendimentos dos títulos americanos mantiveram o rali e estão nos maiores níveis em 11 anos. Consequentemente, seguem drenando dinheiro empossado em ativos especulativos. E quanto mais arriscados, mais inevitável o efeito.

As maiores altas foram da Eletrobras (3,37%) e CPFL Energia (3,15%). As baixas, Via (-10,20%) e CVC (-6,70%). Das cinco ações mais negociadas, três apresentaram evolução: preferenciais da Petrobras (1,13%), Vale (-0,20%), Eletrobras (3,37%), Petrobras (0,89%) e preferencias do Itaú Unibanco (-0,67%). O volume negociado foi de R$ 23,62 bilhões.

Compartilhe

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pergunte para a

Mônica.

©2017-2020 Money Report. Todos os direitos reservados. Money Report preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe.