PATROCINADORES

Moro nega que permanência de Valeixo seria moeda de troca para vaga no STF

O ex-ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) rebateu a acusação feita nesta sexta-feira (24) pelo presidente Jair Bolsonaro de que, nas discussões sobre a mudança no comando da Polícia Federal, teria cobrado a indicação ao Supremo. Em discurso após a demissão de Moro do cargo, Bolsonaro disse que o ex-ministro condicionou a preservação Valeixo no posto à vaga na Corte. “A permanência do diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, nunca foi utilizada como moeda de troca para minha nomeação para o STF. Aliás, se fosse esse o meu objetivo, teria concordado ontem com a substituição”, publicou Moro no Twitter.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Uma resposta

  1. Não foi assim que a maioria das pessoas que falei acharam. É só ler as mensagens que o próprio Moro trouxe a baila, com aquela pitada da bala de prata. Zambelli lhe escreveu: “Moro, o Brasil precisa de você”, e MORO lhe respondeu condicionando seu retorno, sua permanência: “Se o PR anular o Decreto de Demissão do Valeixo, OK ! Desculpem se leio da seguinte forma o que Moro disse: “Permaneço ministro da Justiça SE Valeixo também retornar” Conclui-se que se existissem fatos graves, crimes, ele jamais diria essa frase, colocando a hipótese de permanecer. Se esse fato se efetivasse, ele iria ao Fantástico ? Ele daria entrevistas falando mal do governo ? Parece evidente que estou correto. Só pensar um pouco, e não necessita raciocinar muito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.