Document
PATROCINADORES

Gilmar Mendes manda paralisar ação de Bretas contra advogados

O ministro Gilmar Mendes, do STF, atendeu a um pedido da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e suspendeu no sábado (3) a Operação E$quema S, um desdobramento da Lava-Jato que investiga desvios de pelo menos R$ 150 milhões do Sistema S por escritórios de advocacia no Rio de Janeiro e em São Paulo. O dinheiro, segundo as apurações, teria sido usado em um suposto esquema de tráfico de influência no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Tribunal de Contas da União (TCU). Entre os investigados estão Cristiano Zanin, advogado do ex-presidente Lula, e Frederick Wassef, que já atuou na defesa do presidente Jair Bolsonaro e do senador Flávio Bolsonaro. Além de paralisar todas as ações, a liminar de Mendes impede que o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro e responsável pela ação, não poderá tomar qualquer nova decisão. O argumento usado pela OAB – e acatado pelo ministro – é que a operação foi deflagrada com base em uma delação que atinge autoridades com foro privilegiado, o que forçaria o caso a ser remetido para instâncias superiores. A tendência é que o assunto seja discutido no plenário da Corte.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.