Document
PATROCINADORES

A banalidade da mentira

Editorial do Estadão de hoje tem como tema as mentiras proferidas durante a CPI da Pandemia. “Não é possível alcançar consensos democráticos e formular políticas públicas realistas num ambiente em que o embuste é a norma e quando o debate público é travado com base em mentiras escandalosas produzidas por quem tem máxima autoridade política, como o presidente da República e seus ministros. Como informou singelamente o ex-ministro [Eduardo] Pazuello, as palavras do presidente [Jair] Bolsonaro ditas em público são apenas “coisa de internet” – e, portanto, não devem ser levadas a sério”.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.