Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Nenhum comentário

Reforma tributária pode emperrar por excesso de propostas

Reforma tributária pode emperrar por excesso de propostas

Até pouco tempo, a reforma do sistema tributário brasileiro não avançava porque o tema era deixado de lado no Congresso, que tinha outras “prioridades”. Agora, o assunto pode continuar emperrado, mas por um motivo oposto: excesso de propostas. O Congresso tem hoje cinco projetos que disputam a primazia na casa: o da Câmara, do Senado, do governo federal,  dos Estados e de empresários. Se houvesse uma proposta, o tema já seria complexo o suficiente. Cinco tem o potencial de travar as discussões. Isso ocorre especialmente porque está em jogo o protagonismo da Câmara e do Senado. O líder do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) disse na terça-feira (9), que vai desengavetar a proposta do deputado Luis Carlos Hauly (PSDB-PR). A versão oficial é que os senadores estão insatisfeitos com a proposta que circula na Câmara dos Deputados, de autoria de Baleia Rossi (MDB-SP). Mas há quem diga que, na verdade, o que está em jogo é uma disputa a respeito do protagonismo no Congresso. Os senadores estão insatisfeitos com a liderança dos deputados na reforma da Previdência e não querem papel secundário na disputa previdenciária.

Por que é importante
O sistema tributário brasileiro é um dos mais complexos do mundo. O cumprimento das normas suga bilhões de reais da economia
Quem ganha
Com a aprovação da reforma, o setor produtivo, que ganha produtividade e competitividade
Quem perde
O país, caso a reforma emperre por falta de consenso em relação ao novo modelo tributário

Envie seu comentário

catorze + vinte =