PATROCINADORES

TSE descarta sugestões de militares para as eleições

Tribunal eleitoral respondeu antecipadamente às sete perguntas das Forças Armadas em meio à pressão do presidente Jair Bolsonaro (PL)

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, enviou nesta segunda-feira (9) aos integrantes da Comissão de Transparência das Eleições (CTE) um ofício com respostas aos questionamentos feitos pelo Ministério da Defesa sobre o sistema eleitoral. O tribunal eleitoral negou de forma assertiva três das sete sugestões dos militares e disse que o restante já está em prática, ou seja, não há o que mudar. No documento, o TSE analisa aos questionamentos dos militares:

  • Nível de confiança do teste de integridade;
  • Processo de amostragem aleatório para seleção de urnas que compõem o teste de integridade;
  • Totalização com redundância pelos TREs;
  • Fiscalização e auditoria;
  • Inclusão de urnas do modelo UE2020 no teste público;
  • Procedimentos normativos para a hipótese de verificação de irregularidade em teste de integridade;
  • Sugestões para uma possível duplicidade entre abstenção e voto.

O TSE classificou as avaliações apresentadas pelo representante das Forças Armadas na comissão de transparência como opinativas. O órgão desmentiu a tese de que a totalização dos votos seria feita apenas pelo TSE, disse ainda que não há sala escura de apuração e que o funcionamento de todas as urnas eletrônicas é igual e nunca foi constatada qualquer irregularidade nos testes de integridade anteriores. Confira o relatório técnico na íntegra:

Compartilhe

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pergunte para a

Mônica.

©2017-2020 Money Report. Todos os direitos reservados. Money Report preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe.