Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Nenhum comentário

Investigados por fake news estiveram com presidente e general Heleno

Investigados por fake news estiveram com presidente e general Heleno

Dois dos três donos de perfis investigados por suspeitas de disseminação de conteúdo falsos e ataques contra adversários políticos do presidente Jair Bolsonaro estiveram com ele e com ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general da reserva Augusto Heleno, antes de a Polícia Federal requerer os IPs dos seus perfis ao Twitter. As informações foram publicadas pelo portal UOL, nesta sexta-feira (29).

De acordo com reportagem, uma das disseminadoras de ataques seria a youtuber Bárbara Zambaldi Destefani (imagem). Em 22 de maio, cinco dias antes da operação da PF, ela esteve no Palácio do Planalto, onde entrevistou o presidente para seu canal, “Te Atualizei”, que conta com 585 mil inscritos. Destefani é responsável pela conta @Taoquei1 e ficou com presidente durante uma hora e meia. Ela negou produzir e disseminar informações falsas.

O outro investigado é o ex-assessor da deputada Alana Passos (PSL-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Leonardo Rodrigues de Barros Neto, que postou uma foto com o general Heleno nesta terça-feira (26). Barros Neto é responsável pela conta @bolsoneas e se identifica nas redes como Leonardo Bolsonéas. Ele não foi localizado pela reportagem do UOL.

A terceira conta que teve a identidade pedida pelo STF, @Patriotas, foi tirada do ar pelo Twitter em meados de maio. Junto com outras oito contas, estes perfis fariam parte de uma rede sincronizada de divulgação de ataques, boatos e calúnias contra adversários do presidente. O caso segue em investigação a pedido do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

Envie seu comentário

dois × 4 =