Document
PATROCINADORES

Suplente de Olimpio, empresário Alexandre Giordano chegará ao Senado sem votos e sem empresas

O senador Major Olimpio (PSL-SP), 58 anos, teve morte cerebral anunciada nesta quinta-feira (18), no Hospital São Camilo, em São Paulo. Vítima de covid-19, ele estava internado desde 2 de março. Agora, sua vaga no Senado será ocupada pelo suplente, o empresário e suposto lobista do setor de energia Alexandre Luiz Giordano, 46 anos (à esquerda do senador na imagem). Filiado ao PSL desde 2018, Giordano é um quase desconhecido na vida pública, transitando pelos corredores do poder mais por suas habilidades nos negócios do que pelo seu capital político – que é zero.

O que causa apreensão é que suas atividades empresariais também não são conhecidas, apesar dele nominalmente possuir negócios. Giordano atuaria com importação, exportação, metalurgia, mineração e energia – ele é quase um conglomerado de um homem só. MONEY REPORT apurou as participações societárias que constavam na prestação de contas da Justiça Eleitoral em 2018 (confira a lista abaixo) e nada. A Família Giordano Indústria e Comércio Ltda., ativa desde 2005, funciona no mesmo prédio onde está localizada a Enermade, empresa de bionenergia registrada em 1996. No prédio, na avenida Ataliba Leonel, 1.205, no bairro paulistano de Santana, também funcionou o diretório estadual do PSL. Os telefones disponíveis não atendem. Ele também é sócio da Lobel Exportações, em suposta atividade desde 2004, em Juazeiro do Norte, no Ceará. No local funciona uma empresa de contabilidade, a NTW. O atendente não sabia do futuro senador, porém garantiu que a Lobel e Giordano não são clientes. Já a IBEF e a Multimineração não foram localizadas.

O momento mais notório de Giordano até o falecimento de Major Olimpio, foi em julho de 2019, quando apareceu no noticiário paraguaio por negociar às escuras a compra de energia excedente da usina hidrelétrica de Itaipu. A operação teria causado um prejuízo de US$ 200 milhões aos cofres do país vizinho – o escândalo quase levou o presidente paraguaio Mario Abdo Benítez ao impeachment. No episódio, foi beneficiada a pequena empresa Léros, a qual Giordano estaria ligado. O nome é esse mesmo.

Saudação binacional após o escândalo do suplente em Itaipu

Enquanto Major Olimpio cresceu na política com a defesa de leis mais duras contra criminosos e combate à corrupção, seu suplente fez lobby. Mesmo com perfis públicos tão díspares, ambos foram parceiros políticos e amigos.

Olimpio transformou o escritório onde funcionava o diretório estadual do PSL em São Paulo em seu comitê de campanha em 2018, transferindo R$ 6,6 mil reais pela locação do imóvel que sediava a Enermade. O pagamento constou na prestação de contas eleitorais do Major, mas não nas de Giordano. Alçado a senador, agora sua vida passará por um pente fino ainda maior. O eventual substituto de Giordano seria o atual ministro da Tecnologia, Marco Pontes, inscrito como segundo suplente na chapa ao Senado de Olimpio.

Site da Enermade

Confira os bens declarados de Giordano em 2018

  • Moto aquática Pérola Negra: R$ 620.000,00
  • Moto aquática Star 6: R$ 35.000,00
  • Participação societária na Família Giordano Indústria e Comércio: R$ 920,00
  • Participações societária na IBEF – Indústria Brasileira de Estrutura de Ferro: R$ 100,00
  • Participações societária na Lobel Indústria, Comércio, Importação e Exportação de Metais: R$ 570.000,00
  • Participações societária na Multimineração Extração de Minérios: R$ 247.500,00
  • Caminhão Mercedes-Benz 1973: R$ 30.000,00
  • Veículo I Smart 2009: R$ 30.000,00
  • Total: R$ 1.533.520,00

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.