PATROCINADORES

Para juiz, grupo se uniu para invadir celulares de autoridades

O juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, que autorizou a prisão de quatro pessoas que teriam invadido o celular do ministro da Justiça e Segurança, Sergio Moro, afirmou em seu despacho que há “fortes indícios” contra os suspeitos.

“Há fortes indícios de que os investigados integram organização criminosa para a prática de crimes e se uniram para violar o sigilo telefônico de diversas autoridades brasileiras via invasão do aplicativo Telegram”, escreveu na decisão.

O juiz determinou ainda a quebra do sigilo bancário deles de 1º de janeiro a 17 de julho deste ano. Segundo o jornal Valor Econômico, a Polícia Federal seguirá investigando o caso. A PF tenta descobrir se alguém contratou os serviços do grupo para acessar os dados de Moro e de outras autoridades.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 2 =

Pergunte para a

Mônica.