Document
PATROCINADORES

Na OMC, Brasil se opõe à quebra de patentes de imunizantes e medicamentos

Durante uma reunião na Organização Mundial do Comércio (OMC) nesta quarta-feira (5), os países participantes debateram uma proposta da Índia e da África do Sul para a suspensão das patentes de imunizantes e remédios para sintomas da covid-19. A intenção é tornar o acesso mais barato por meio da adoção de versões genéricas. Os países desenvolvidos são contra a proposta. O governo brasileiro optou por não apoiar a iniciativa e reforçou o caminho da política de transferência de tecnologia dentro das regras adotadas pela indústria farmacêutica.

Porém, abrir temporariamente as patentes de imunizantes e remédios para melhorar o atendimento de infectados em países pobres não resolveria o problema de imediato, principalmente para os imunizantes. A cadeia de fornecimento de ingredientes farmacêuticos ativos (IFAs) para as vacinas está concentrada nas indústrias chinesa e indiana, que estão sobrecarregadas. E a maioria dos países que poderiam suprir essa demanda são contra a abertura de patentes.

Nos Estados Unidos, congressistas pressionam a Casa Branca para bancar um projeto que ajude os países emergentes. O presidente Joe Biden afirmou que avaliará a proposta.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.