PATROCINADORES

Ex-ministros não veem risco à democracia com militares no poder

Para os ex-ministros Nelson Jobim e Sergio Etchegoyen, o número elevado de militares no governo Bolsonaro não representa um risco à democracia. Em evento realizado nesta terça-feira (4) na Fundação Fernando Henrique Cardoso, Jobim, que foi membro do Supremo Tribunal Federal (STF) e ministro nos governos FHC (Justiça) e Lula (Defesa), afirmou que “não há preocupação de uma pretensa intervenção militar”. Na opinião de Etchegoyen, que é general da reserva e foi chefe do Estado-Maior do Exército no governo Dilma e ministro do Gabinete de Segurança Institucional na gestão Temer, o movimento autoritário dentro das Forças Armadas é irrelevante. “Nunca vi ninguém no quartel defendendo intervenção militar”, disse.

Por que é importante

Respeitados perante a opinião pública, Jobim e Etchegoyen têm trânsito na cúpula militar

Quem ganha

Os militares, fortes dentro do governo

Quem perde

Correntes políticas mais radicais, que defendem uma intervenção militar

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 15 =

Pergunte para a

Mônica.