Document
PATROCINADORES

Dinheiro sujo da Odebrecht abasteceu o governo Chávez, diz site

O pagamento de propina da Odebrecht para agentes públicos ultrapassou as fronteiras do Brasil. Segundo o blog do jornalista Jamil Chade, do UOL, a empreiteira utilizou contas na Suíça para abastecer os cofres do regime chavista, com o objetivo de garantir que o governo venezuelano pagasse suas dívidas e fechasse contratos bilionários com a empresa. Segundo o UOL, Chávez recebeu o codinome de “Camelo” na contabilidade paralela da companhia. Considerado o operador financeiro do governo venezuelano, Héctor Dager Gaspard teria recebido US$ 49 milhões da Odebrecht entre 2008 e 2016. Projetos como a hidrelétrica de Tocoma e a Linha 5 do metrô de Caracas teriam gerado subornos milionários para autoridades do país.

Por que é importante

A reportagem volta a mostrar que o “propinoduto” da Odebrecht não se resumiu ao Brasil e abasteceu políticos de diferentes países

Quem ganha

Juan Guaidó, que ganha ainda mais munição para contestar a legitimidade do ditador Nicolás Maduro, principal figura do chavismo na atualidade

Quem perde

Maduro, que vê novas denúncias surgirem contra seu antigo aliado, morto em 2013

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.