PATROCINADORES

Deltan combinou com partido ação contra Gilmar Mendes

Reportagem do UOL, com base em mensagens obtidas pelo site The Intercept, aponta que o procurador Deltan Dallagnol, da força-tarefa da Operação Lava-Jato, articulou com a Rede Sustentabilidade uma ação no STF contra o ministro Gilmar Mendes. Com base nos diálogos divulgados nesta quarta-feira (7), o senador Randolfe Rodrigues teria sido a ponte entre a força-tarefa e o partido.

Segundo o UOL, Deltan falou sobre a negociação com Randolfe em 9 de outubro de 2018, em um chat no Telegram com outros procuradores. Os integrantes da Lava-Jato se queixavam das decisões de Gilmar Mendes, como a soltura do ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB). “Resumo reunião de hoje: Gilmar provavelmente vai expandir decisões da Integração pra Piloto. Melhor solução alcançada: ADPF da Rede para preservar juiz natural”, escreveu Deltan. “Randolfe: super topou. Ia passar pra Daniel, assessor jurídico, já ir minutando. Falará hoje com 2 porta-vozes da Rede para encaminhamento, que não depende só dele”, completou o procurador horas depois.

A ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) para impedir que Gilmar soltasse presos em processos que ele não fosse o juiz da causa foi protocolada pela Rede dois dias depois da conversa relatada pelo UOL. A relatoria da ação da Rede contra Gilmar, que ficou com a ministra Cármen Lúcia, foi discutida pelos integrantes da Lava-Jato. “Frouxa”, escreveu o procurador Athayde Ribeiro Costa. “Sei não hein. Contra gm. Ela vai crescer”, rebateu o procurador Diogo Castor. “Ela é amiga da esposa do GM”, acrescentou Deltan Dallagnol. Cármen Lúcia negou seguimento à ADPF da Rede e arquivou a ação.

O UOL destaca na reportagem que os procuradores da Lava-Jato não poderiam protocolar diretamente a ADPF contra Gilmar. A prerrogativa é restrita a um seleto grupo de autoridades, como partidos políticos com representação no Congresso, caso da Rede Sustentabilidade.

Procurada, a força-tarefa da Operação Lava-Jato disse não reconhecer o teor das mensagens que estão sendo vazadas pelo The Intercept. Já o senador Randolfe Rodrigues e a Rede negaram que o partido tenha sido usado como ponte para mover a ação contra Gilmar Mendes.

As mensagens foram mantidas com a grafia original

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × quatro =

Pergunte para a

Mônica.