Document
PATROCINADORES

Bruno Covas se licencia da prefeitura de SP por 30 dias

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou neste domingo (2) que irá solicitar seu licenciamento do cargo à Câmara de vereadores por 30 dias. O requerimento deve ser apresentado nesta segunda-feira (3). O vice, Ricardo Nunes (MDB), assumirá oficialmente nos próximos dias. Covas está em tratamento de um câncer que desenvolveu metástase óssea. Ele tem sido medicado em casa e recebe alimentação venosa. Ele escreveu, em comunicado: “Mas agora, diante dos novos focos da doença, meu corpo está exigindo que eu dedique mais tempo ao tratamento, que entra em uma fase muito rigorosa”.

Bruno Covas foi tratado com quimioterapia e imunoterapia, mas a doença avançou no começo deste ano. Reeleito no segundo turno nas últimas eleições, ele se mantinha despachando do hospital e de casa. Porém, com o agravamento da doença, sua condição passou a ser considerada delicada e foi necessário optar pela licença.

Confira o comunicado oficial da prefeitura publicado no perfil de Bruno Covas.

Em outubro de 2019, Covas foi diagnosticado com adenocarcinoma, um tipo de câncer na região de transição do esôfago para o estômago, além de uma metástase no fígado e uma lesão nos linfonodos. Após o diagnóstico, ele iniciou um tratamento de quatro meses de quimioterapia. Em fevereiro do ano passado, exames demonstraram regressão da lesão esôfagogástrica e da lesão hepática, mas uma biópsia detectou que o câncer nos linfonodos ainda persistia e os médicos decidiram então iniciar uma nova fase de tratamento, baseado em imunoterapia, uma estratégia que permite ao próprio sistema imune do paciente combater a doença.

Exames feitos pelo prefeito em abril de 2020 demonstraram controle da lesão em linfonodos. Já neste ano, em fevereiro, Covas passou por um novo tratamento quimioterápico após os médicos descobrirem um novo nódulo no fígado. E em meados de abril, exames de controle demonstraram novos pontos da doença no fígado e nos ossos. Com isso, os médicos decidiram dar continuidade ao tratamento com quimioterapia, além de imunoterapia. Em 27 de abril, ele recebeu alta do hospital, mas seu tratamento contra a doença deverá ser continuado com aplicações de 48 horas a cada duas semanas.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.