Document
PATROCINADORES

Como funcionará o novo lockdown britânico

Afastado por opção da União Europeia, o Reino Unido se prepara para alinhar suas políticas de contenção contra a covid-19 com as da Alemanha e da França. Neste sábado (31), o primeiro-ministro Boris Johnson anunciou um novo lockdown nacional depois que o país ultrapassou 1 milhão de casos e a segunda onda da pandemia ameaça sobrecarregar o serviço de saúde pública (NHS). O isolamento geral começará na quinta-feira (5) e irá até 2 de dezembro.

Conheça as regras do isolamento:

  • Só será permitido sair de casa por motivos específicos, como educação, trabalho, exercícios, compras essenciais e de remédios ou para cuidar de vulneráveis;
  • Lojas, escolas e universidades essenciais permanecerão abertas. Pubs e restaurantes só funcionarão para a entrega de comida. Todo varejo não essencial será fechado;
  • O governo vai retomar com o subsídio salarial emergencial de 80% para garantir o sustento dos trabalhadores temporariamente dispensados.

“Agora é o momento de adotar ações porque não há alternativa”, disse Johnson, durante a coletiva. Porém, a iniciativa de Johnson só teria tomado forma depois que a imprensa soube que um novo lockdown era considerado inevitável. Pesquisadores alertaram que o surto estava ganhando força renovada e que talvez as famílias não conseguissem se reunir no Natal. Johnson já era criticado por ter agido lentamente no primeiro lockdown nacional, em 23 de março e 4 de julho.

O Reino Unido enfrenta agora mais de 20 mil novos casos diários de coronavírus e, caso o limite de 80 mil mortos seja ultrapassado, todo o NHS pode colapsar, criando o “pior cenário”, alertam as autoridades sanitárias. Até sexta-feira (30) havia 46.555 óbitos registrados. De acordo com os dados recolhidos pela Universidade Johns Hopkins, dos EUA, entre 18 e 30 de outubro o Reino Unido somou 306.232 casos. Desde o início da pandemia, o país contabilizou 1.011.660 casos.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.