PATROCINADORES

Como as principais economias lidam com o isolamento

Flexibilizar ou não o isolamento social em tempos de pandemia é o tema que provoca as discussões mais acaloradas da atualidade. Apesar das recomendações das autoridades de saúde serem acatadas quase com unanimidade ao redor do mundo, não há consenso sobre quando exatamente relaxar o isolamento e que regras devem ser adotadas a partir do momento em que os casos da covid-19 começam a se reduzir.

MONEY REPORT lista abaixo como alguns países estão lidando com o problema:
China – Wuhan, o epicentro da pandemia, está liberada. A indústria retoma as atividades, mas há receios, já que centenas de milhões de pessoas voltaram às ruas.
Estados Unidos – o país virou o novo epicentro da doença, com Nova York fechada. A maioria das restrições, como o fechamento de escolas e dos serviços não essenciais foi determinada por governadores. O presidente Trump deseja reabrir a economia o mais rápido possível. As medidas restritivas federais vão até 30 de abril.
França – depois de ampliar o confinamento, o governo pretende reabrir gradualmente a economia a partir da metade de maio.
Espanha – depois de ser atingido em larga escala, o país vê a curva de casos declinar. Algumas atividades, como a construção civil, indústria e alguns serviços, foram retomadas no início desta semana. O resto da população deve ficar confinada.
Itália – é um dos países mais atingidos. Apesar dos pedidos dos empresários, o governo só pretende relaxar o confinamento nas regiões mais afetadas a partir de 3 de maio. A partir desta terça-feira (14), algumas lojas poderão reabrir sob estritas regras de higiene em áreas consideradas seguras.
Coreia do Sul – depois de ter contido a pandemia e adotado a testagem da população, o governo reluta em reabrir a economia por temor.
Alemanha – o país pretende definir ao longo desta semana as regras locais de afrouxamento do isolamento social depois de quedas contínuas no índice de contágio. O mesmo vale para Dinamarca e Noruega.
Reino Unido – o confinamento em massa segue em curso, com os casos de covid-19 ainda em crescimento.
Japão – proibiu a entrada de pessoas vindas de mais de 70 países e regiões. O governo declarou emergência e mandou a população ficar em casa.
Índia – as medidas de isolamento foram ampliadas por temor de uma explosão de casos e um sistema de saúde precário.
Suécia – adotou o que é chamado de isolamento social responsável, com as pessoas evitando contato. Escolas e empresas foram mantidas abertas. O país possui três vezes mais casos registrados que seus vizinhos Noruega e Dinamarca.
Rússia – mesmo com isolamento decretado, os casos estão em crescimento e o governo prepara um novo pacote de medidas emergenciais.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.