Document
PATROCINADORES

Ataques homofóbicos de Bolsonaro e aliados a governadores vão parar na Justiça

Ofensas proferidas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e seus apoiadores contra os governadores tucanos João Doria (São Paulo) e Eduardo Leite (Rio Grande do Sul) desagradaram a comunidade LGBT. O caso chegou à esfera judicial, aponta a Folha de S.Paulo, nesta segunda-feira (5). Bolsonaro chamou Doria de “calcinha apertada”, devido às calças justas utilizadas pelo governador.

O governador gaúcho, Eduardo Leite, também foi alvo de insinuações de do presidente, que questionou “onde ele enfiou” o dinheiro repassado ao estado pelo governo federal. Além disso, Leite foi alvo do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, que usou o termo “veado” para criticar as medidas adotadas no Rio Grande do Sul contra a disseminação da covid-19. Após o episódio, Leite entrou com um pedido de investigação sobre o ex-deputado no Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RJ).

Não é a primeira vez que Bolsonaro é questionado sobre atitudes preconceituosas. Ele já agrediu verbalmente quilombolas e feministas. O Diversidade Tucana, setor do PSDB que defende a causa LGBT, divulgou notas de repúdio contra Bolsonaro e Jefferson. Frentes de defesa da minorias do PT e do PSOL se posicionaram a favor dos tucanos.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.