PATROCINADORES

“A PF não pode estar a serviço de uma facção político-partidária”

Após as declarações do diretor-geral da Polícia Federal Fernando Segovia, de que o inquérito envolvendo o presidente Michel Temer no caso dos portos e a empresa Rodrimar seria arquivado, o senador Randolfe Rodrigues (REDE) entrou com uma ação popular na Justiça Federal pedindo o afastamento de Segovia. “(Segovia) interveio em um inquérito que ele não preside, o que é incompatível com o cargo que ele ocupa”, disse o senador a MONEY REPORT. O senador disse ainda que as afirmações do diretor-geral da PF são uma “declaração contra a Polícia Federal”. Segundo Rodrigues, a PF “não pode ser uma instituição a serviço de uma facção político-partidária”, se referindo a um suposto uso da polícia para beneficiar Temer. “Farei uma representação no Ministério Público Federal e tentarei convocar o sr. Segovia em uma das comissões no Senado.”

Por que é importante

Michel Temer é investigado por ter supostamente atuado na edição de decretos que teriam favorecido a Rodrimar, que opera no Porto de Santos

Quem ganha

A oposição, que, após a entrevista de Segovia, ganha fôlego para minar a governo do presidente

Quem perde

Fernando Segovia, que assumiu o cargo na PF sob suspeitas de que poderia favorecer o presidente Temer

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − quinze =

Pergunte para a

Mônica.