PATROCINADORES

Bolsonaro internado – governo parado

Internado há 15 dias no Albert Einstein, em São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) governa o país do seu leito hospitalar . Enquanto isso, pautas importantes no início do mandato, como a reforma da Previdência, ficam à espera da aprovação e canetada final do presidente da República. Na prática, ele deixa de aproveitar um período importante: os primeiros dias de governo, quando o capital político do eleito facilita a aprovação de pautas fundamentais para o país, como é o caso da Previdência.

Segundo o cientista político Marco Antonio Teixeira, da Fundação Getulio Vargas (FGV-SP), o longo período em que o presidente está distante de Brasília vai resultar no atraso das negociações políticas em torno das reformas. “Em uma questão como essa, a liderança do presidente da República, com o respaldo das urnas, tem um papel crucial no dia a dia do governo. Ele, internado, atrasará essa reforma”, diz Teixeira. 

O presidente Bolsonaro montou um gabinete para despachar com ministros termos da reforma do sistema previdenciário. Será suficiente? Não, argumenta Teixeira. Para o cientista político da FGV, a aprovação da reforma não depende só da equipe econômica do governo. “Haverá muitos questionamentos sobre essa reforma que só no campo da política serão respondidos.” 

A ideia do governo e da equipe econômica é que a reforma da Previdência seja aprovada até maio. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse recentemente que, antes de enviar o projeto ao Parlamento, o governo deve já contar com uma base razoável de apoio. Aí é que o presidente da República se faz necessário. “Esse apoio no Parlamento só o presidente da República consegue obter”, diz Teixeira. 

Submetido a um processo cirúrgico no último dia 28, Bolsonaro ainda não tem data para sair do hospital. 

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.