PATROCINADORES

Volks admite que colaborou com a ditadura

A Volkswagen deu um exemplo de civilidade ao admitir, em relatório público, que colaborou com a repressão política promovida pela ditadura militar no Brasil (1964 a 1985). Mas isso é apenas o começo. A iniciativa deve estimular uma onda de acerto de contas. Gigantes como Brastemp, Caterpillar, Johnson & Johnson e Petrobras também estudam assumir os erros cometidos nos anos de chumbo.

Por que é importante

O movimento é o retrato do amadurecimento da democracia brasileira

Quem ganha

A Comissão Nacional da Verdade, que jamais descansou enquanto os fatos reais não saíssem das sombras

Quem perde

Os radicais que defendem a volta dos militares ao poder

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + dezenove =

Pergunte para a

Mônica.