Document
PATROCINADORES

Big techs vão criar sistema de guerra em nuvem para o Pentágono

O Departamento de Defesa do Estados Unidos emitiu solicitações formais para quatro grandes empresas de tecnologia – Amazon, Microsoft, Google e Oracle da Alphabet – nesta sexta-feira(19). O governo quer fechar um contrato de cerca de US$ 10 bilhões paraa serviços codificados de computação em nuvem para substituir o Empreendimento Conjunto de Infraestrutura de Defesa (Jedi, na sigla em inglês), que ficou atolado em litígios e uma torrente de objeções no Congresso, onde a pressão de todas as empresas é significativa, pois envolvem grandes recursos que podem ser divididos por empresas instaladas em diferentes estados.

O pedido representa uma vitória para todas as big techs, especialmente a Amazon, que com resultados surpreendentes perdeu a concorrência do contrato Jedi original com a Microsoft. Mais tarde, a Amazon alegou no tribunal que a decisão original da Microsoft foi resultado de interferência política do então presidente Donald Trump. O Pentágono negou a acusação. No final, o Pentágono cancelou o Jedi e disse que reiniciará o projeto, agora chamado de

O pedido representa uma vitória para as big techs, especialmente a Amazon, que com resultados surpreendentes perdeu a concorrência do contrato do Jedi para a Microsoft. A Amazon alegou no tribunal que a decisão original em favor da Microsoft foi resultado de uma interferência política do então presidente Donald Trump. O Pentágono negou a acusação, mas o governo se viu obrigado a cancelar o contrato e reiniciar o projeto, agora chamado de Joint Warfighter Cloud Capability (JWCC, ou Capacidade Cnjunta de Cobate em Nuvem). Até o momento, não foi esclarecido por que a IBM, vista como outro possível participante, não foi incluída.

A sigla não diz muito aos leigos. Em termos gerais, significa que um soldado em combate pode ter acesso a dados – desde que liberados – de satélite em tempo real, por exemplo. No jargão militar tecnicista, os militares querem “serviços resilientes e globalmente acessíveis, análise de dados avançada, segurança reforçada e dispositivos táticos de última geração”.

Na avaliação do DoD e da Administração de Serviços Gerais dos Estados Unidos (GSA, na sigla em inglês),
responsável pela gestão de compras do governo federal, entre os provedores de serviços de hiperescala em nuvem nos Estados Unidos, apenas a Amazon e a Microsoft estariam aptas a atender todos os requisitos “em todos os níveis de classificação de segurança nacional”. Mesmo assim, a pressão foi tanta que o governo “pretende conceder [contratos] a todos os Provedores de Serviços em Nuvem (CSPs) que demonstrem a capacidade de atender aos requisitos do DoD”, afirmou em nota a GSA.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.