PATROCINADORES

Na China, aplicativos não sabem o que fazer com bicicletas descartadas

A popularização dos aplicativos de mobilidade urbana traz inúmeros benefícios à sociedade, mas também tem seus efeitos colaterais. Na China, o compartilhamento de bicicletas nas principais metrópoles foi bem recebido pelas pessoas, mas também gerou um excesso de oferta, com várias empresas oferecendo o serviço acima do que o mercado poderia absorver. Sem infraestrutura e regulamentação adequada, as milhões de bikes que invadiram as cidades começaram a causar alguns transtornos, atrapalhando a mobilidade nas já lotadas calçadas chinesas – com os usuários deixando as bicicletas no meio multidão na falta de locais para estacioná-las. Com o tempo, as cidades passaram a regular o serviço e muitas empresas deixaram o mercado, deixando para trás verdadeiros “cemitérios” de bikes.

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 3 =

Pergunte para a

Mônica.