Document
PATROCINADORES

67% das maiores empresas não têm sucessor preparado para o CFO

Consultoria especializada no recrutamento e seleção de executivos da área financeira, a Assetz fez uma pesquisa em cooperação com o Insper para traçar o perfil dos chiefs financial officer (CFO) das maiores empresas do país. O levantamento mostrou que, embora apenas um terço dos participantes tenha preparado um sucessor para o cargo, 45% desses profissionais acreditam que seu legado é construído por meio de uma boa liderança e da participação ativa na ampliação dos resultados da organização para a qual trabalham. Neste estudo, 128 CFOs demonstraram suas visões e expectativas para as posições mais altas na área.

“A maioria dos participantes sinaliza que precisa seniorizar sua equipe, deixando-a mais experiente e madura. Isso vai de encontro com uma das questões centrais levantadas pela pesquisa. A maioria dos CFOs não possui um sucessor interno em vista e precisa dedicar cerca de 18% de seu tempo ao desenvolvimento de alguém”, conta Guilherme Malfi, sócio fundador da Assetz. 

Também foi perguntado quais são as competências técnicas e comportamentais que eles acreditam que os profissionais vão precisar desempenhar com maestria nos próximos anos. As habilidades mais citadas foram: adaptação às mudanças (67%), cultivo de um ambiente de alta performance (29%) e comunicação efetiva (28%). Já na parte técnica, as capacidades mais exigidas foram: planejamento estratégico (51%), gestão de riscos (45%) e tesouraria estratégica (36%).

Por causa do ambiente incerto de negócios, a conclusão do estudo é que as empresas necessitam, na avaliação dos CFOs, de gente que tenha uma abordagem cautelosa na gestão de riscos e de extrema atenção ao fluxo de caixa. “A área de finanças está cada vez mais próxima ao negócio, dando suporte às demais áreas internas na tomada de decisões estratégicas”, comenta Felipe Brunieri, sócio fundador da Assetz.

Entre as perguntas de cunho organizacional sobre o futuro, os CFOs responderam a uma das perguntas clássicas feitas em processos seletivos: “Onde você se vê em cinco anos?”. A maioria deles, 66%, se vêem como CEO, enquanto 63% acreditam que ainda estarão atuando como CFO, e 34% apostam mais alto, respondendo que estarão ocupando um lugar como Conselheiro nesse período. 

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.