PATROCINADORES

Disney inclusiva; empreendedores da quebrada; Tinder vegano

Boletim de MONEY REPORT sobre questões ambientais, sociais e de governança no mundo dos negócios
Disney diz que futuros personagens serão 50% LGBTQ ou minorias

Embora a Disney já esteja se concentrando na introdução de mais personagens LGBTQ e de minorias em seus projetos, parece que a empresa quer desde já se retratar. De fato, Karey Burke, presidente da Disney General Entertainment, afirmou que espera que pelo menos 50% de seus futuros personagens sejam de grupos subrepresentados. Ela também afirma que o início desse processo entre em vigor no final de 2022. Burke observou que este é um objetivo que ela apoiará pessoalmente “como mãe [de] uma criança transgênero e uma criança pansexual”.

Expo Favela atrai investidores

Ponto de encontro entre as favelas e o asfalto, essa foi a proposta da primeira edição da Expo Favela, feira de negócios entre 15 e 17 de abril, no World Trade Center (WTC), em São Paulo. O evento reuniu 350 empreendedores de segmentos que atuam em áreeas urbanas precárias. Além de negócios, a Expo Favela promoveu palestras, workshops, exposições, rodadas de negócios, mentorias, debates, cursos e shows. Os expositores concorreram a prêmios para investir em suas iniciativas, além de oportunidades de divulgação de seu trabalho em programas da TV Globo. Foram 10 empreendedores beneficiados.

____________________________________

Informe Publicitário

______________________________________

Startups querem mudar relação entre patrões e empregados

O olhar atento à Olist, unicórnio de Curitiba para a gestão de lojas virtuais, revela o valor de uma política de recursos humanos flexível para um ganho de produtividade. Após um aporte do fundo americano Wellington ­Management, em dezembro passado, a empresa, fundada em 2015, ficou avaliada em US$ 1,5 bilhão. As receitas triplicam a cada ano. O número de funcionários multiplicou por quatro no ano passado: são 1.400 e mais 300 postos serão abertos só em 2022. Em um negócio tão dependente de capital humano, um pacote de benefícios parrudo costuma ser essencial para os profissionais darem tudo de si para alcançar as metas — ou pedir as contas diante de uma proposta de trabalho mais vantajosa na startup ao lado. 

Veggly recebe aporte e quer unir casais contra a carne

O empreendedor Alex Felipelli nunca se deu bem com aplicativos de relacionamento. Ele não conseguia criar filtros que pudessem selecionar apenas pessoas com uma característica em comum: os hábitos alimentares. Felipelli é vegano, ou seja, não come carne ou qualquer produto de origem animal. O resultado? Nenhum “match” sequer. Inspirado em seu desafio pessoal ele fundou a Veggly, um aplicativo de relacionamento aos moldes do Tinder, que conecta veganos em busca de novos relacionamentos. Criada em 2018 nos Estados Unidos, a Veggly já tem 600 mil usuários pelo mundo, com forte presença em países como Alemanha e Reino Unido. O aplicativo também ganhou uma versão em português, impulsionando o Brasil como o segundo principal mercado da Veggly em número de usuários.

Localiza mapeia emissões de carbono de clientes e lança Neutraliza

O setor de transportes tradicionalmente tem um desafio nas emissões de gases de efeito estufa. Para superá-lo, a Localiza anuncia o Neutraliza, um programa para reduzir as emissões dos gases dos escopos 1 e 2 – as operações da empresa e as emissões para geração de energia a mesma, respectivamente. A companhia avança na mitigação do impacto do escopo 3 – as emissões dos veículos utilizados pelos clientes. “Fizemos um inventário há cerca de cinco anos, focados no escopo 1 e 2, mas conseguimos evoluir ao entender as emissões a partir dos consumos dos clientes. Para isto, desenvolvemos uma metodologia proprietária com a consultoria WayCarbon”, diz Daniel Linhares, diretor-executivo da Localiza.

______________________________________

Informe Publicitário

______________________________________________

Mercedes lança segundo SUV elétrico

A Mercedes apresentou seu veículo utilitário esportivo (SUV) EQS nesta terça-feira (19), um carro com autonomia de 660 quilômetros (410 milhas) que será fabricado nos Estados Unidos. A produção do EQS, o segundo SUV elétrico da montadora premium, após o EQC, começará este ano em sua fábrica em Tuscaloosa, Alabama. Espera-se que os Estados Unidos e o Canadá sejam os principais mercados para o novo veículo, segundo a chefe de vendas Britta Seeger. O veículos também será lançado na Europa antes do final do ano. A Mercedes-Benz não divulgou por quanto o novo SUV será vendido, embora seu sedã elétrico EQS existente comece em cerca de US$ 103 mil nos EUA

BMW usará rodas de alumínio produzidas com energia verde

O BMW Group segue com suas iniciativas industriais sustentáveis. A partir de 2024, rodas de alumínio fundido produzidas com 100% de energia verde serão usadas nas marcas BMW e Mini. A transição se aplica, em particular, à eletrólise de uso intensivo de energia usada na produção de alumínio e ao processo de fundição de rodas. Até hoje, as rodas foram responsáveis por 5% das emissões de CO₂ da cadeia de abastecimento da marca. A transição para uma produção mais sustentável, que depende de energia verde, reduzirá essas emissões em mais da metade. O BMW Group adquire cerca de 10 milhões de rodas de liga leve por ano; 95% delas são de alumínio fundido.

Compartilhe

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pergunte para a

Mônica.

©2017-2020 Money Report. Todos os direitos reservados. Money Report preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe.