Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Nenhum comentário

Justiça determina quebra de sigilos de presidente do BNDES

Justiça determina quebra de sigilos de presidente do BNDES

A Justiça Federal de Brasília determinou nesta quinta-feira (1º) a condução coercitiva e a quebra dos sigilos bancário e fiscal do presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, como parte da Operação Pausure, ação conjunta da PF e MPF que investiga desvios bilionários do fundo de pensão dos Correios, o Postalis. Rabello de Castro teve sua condução coercitiva determinada a fim de apurar sua participação como representante da SR Rating em investimentos feitos pelo fundo de pensão. Segundo decisão judicial, obtida pela Reuters, a investigação constatou que a SR Rating fez avaliações econômico-financeiras irreais e tecnicamente irregulares” em uma das operações. “(A SR Rating e outras) foram as empresas contratadas pelo Postalis para fazer a avaliação econômico-financeira de alguns dos empreendimentos, muito provavelmente para dar uma aparência de legalidade aos papéis comprados pelo fundo de pensão”, afirmou o juiz Vallisney de Sousa Oliveira, na decisão que justificou as medidas restritivas.

Por que é importante
Paulo Rabello de Castro é pré-candidato à Presidência da República pelo PSC
Quem ganha
O trabalho conjunto entre PF e MPF. A operação surgiu de auditorias de órgãos de controle que identificaram má gestão, irregularidades e impropriedades na aplicação dos recursos do Postalis
Quem perde
O presidente do BNDES. Em Brasília, ele se dirigiu voluntariamente para prestar esclarecimentos à PF, após ter conhecimento da operação em sua residência, no Rio de Janeiro

Envie seu comentário

seis + dezoito =