PATROCINADORES

Irmãos Batista podem confessar informação privilegiada

A J&F discute novos termos do acordo de leniência em que os irmãos Joesley e Wesley Batista podem confessar terem cometido os crimes de uso indevido de informações privilegiadas para obtenção de lucros no mercado financeiro, informou uma fonte do Ministério Público envolvida diretamente nas tratativas. Representantes do grupo empresarial e procuradores de Brasília e de São Paulo tiveram conversas informais para discutir os termos de uma eventual renegociação do acordo. Segundo a fonte do MP, o valor de R$ 10,3 bilhões em multas é um “piso” para o início da repactuação.

Por que é importante

A leniência do grupo, fechada no final de maio do ano passado, prevê o pagamento de uma multa recorde no valor de R$ 10,3 bilhões durante 25 anos por atos praticados por empresas controladas pela holding. Executivos da empresa também firmaram delações premiadas um pouco antes e, ao implicar diretamente o presidente Michel Temer e uma série de políticos da base aliada, geraram a maior crise política do atual governo

Quem ganha

Joesley e Wesley Batista. A confissão de novos delitos no âmbito do acordo de leniência será oferecida em troca de benefícios para os irmãos, presos desde setembro do ano passado

Quem perde

A J&F. O novo acordo poderá envolver outras cláusulas de obrigação da leniência e levar o grupo a desembolsar grandes somas de dinheiro que podem comprometer a sua solidez financeira

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − um =

Pergunte para a

Mônica.