PATROCINADORES

Grandes empresas vão ficar mais fortes depois do coronavírus?

A crise do coronavírus levou à rápida deterioração dos indicadores econômicos, com quedas expressivas da produção industrial, das vendas no varejo e dos índices de emprego. Diante dos dados negativos já colocados, os economistas começam a debater outra questão: como será a recuperação? As grandes empresas, especialmente aquelas com ações listadas em bolsa, devem sofrer menos. Elas, afinal, têm mais recursos em caixa e contam com maior acesso às linhas de financiamento, o que faz diferença em momentos de crises agudas. No geral, dizem os especialistas, as grandes corporações sobrevivem às crises e tendem a ampliar seu campo de atuação. Segundo o Global Policy Forum, as 200 maiores empresas do mundo detêm 30% da produção global, mas o coronavírus pode ampliar essa participação para 40%. Ou seja: o mundo provavelmente verá no futuro próximo uma concentração maior dos negócios nas mãos de grupos cada vez mais poderosos.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.