PATROCINADORES

Governo vai bancar corte do preço do diesel; greve entra no 5º dia

O governo federal informou na noite de quinta-feira (25) ter chegado a um acordo com os representantes dos caminhoneiros para suspender a greve por 15 dias. Na negociação, ficou definido que a Petrobras vai manter por 15 dias o corte de 10% no valor do diesel nas refinarias e o governo assumiu o compromisso de bancar a redução por mais 15 dias – com custo estimado de R$ 350 milhões. As entidades conseguiram ainda que o governo garantisse, até o final deste ano, que os reajustes do diesel sejam feitos apenas a cada 30 dias nas refinarias, com as Petrobras sendo recompensada por possíveis perdas. “Vai ter um preço fixo ao longo do mês. Vai haver uma diferença entre esse preço e o preço médio que a Petrobras usaria. Vamos calcular quanto a empresa deixou de faturar e vamos pagar essa diferença”, explicou o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia. “Nos momentos em que o preço cai e fica abaixo do preço fixado para o diesel na refinaria, a Petrobras passa a ter um crédito que vai reduzir o custo do Tesouro”, completou Guardia. O ministro da Fazenda calcula em R$ 700 milhões por mês a compensação que terá de ser feita pelo Tesouro à Petrobras. A Fazenda prevê um crédito extraordinário – que ainda precisa ser aprovado pelo Congresso – de R$ 4,9 bilhões até o final do ano. A incidência da Cide sobre o diesel também será zerada. A isenção do PIS/Cofins terminou ficando de fora do acordo.

Por que é importante

Os representantes dos caminhoneiros confirmaram o acordo para uma trégua de 15 dias. Apesar disso, as paralisações prosseguem na manhã sexta-feira (25) com bloqueios de rodovias e problemas de desabastecimento de combustíveis e alimentos

Quem ganha

As entidades representantes dos caminhoneiros, que conseguiram muitos benefícios na reunião, como retirar o setor de transporte rodoviário de cargas da reoneração da folha de pagamentos. Além de garantir a isenção do pedágio para caminhões que circulam vazios (eixo suspenso)

Quem perde

O contribuinte, que ficará com a conta. Lembrando que o acordo não vale para o preço da gasolina. E também o presidente da Petrobras, Pedro Parente, que está sendo cobrado pelos investidores pela interferência política nas decisões da empresa

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − 3 =

Pergunte para a

Mônica.