Document
PATROCINADORES

Exportações recuam com queda das vendas à China

A China continua a liderar a contribuição para o aumento do superávit da balança comercial brasileiro, que chegou a  US$ 44,4 bilhões no acumulado do ano até julho. O mês de julho repetiu as tendências observadas nos meses anteriores pelo Indicador de Comércio Exterior (Icomex), do Instituto Brasileiro de Economia (FGV-Ibre): exportações lideradas pelo aumento de preços e as importações por variações de volume. Porém, houve uma desaceleração no volume exportado liderado pela queda nas exportações para China e, em menor intensidade nas importações. Para os próximos meses, espera-se que o ritmo de crescimento do comércio seja reduzido.

Em todos os principais mercados analisados pelo Icomex, houve aumento no saldo positivo ou redução do déficit. A participação da China nas exportações brasileiras foi de 32,6% em julho e no acumulado do ano até julho de 34,2%. As exportações desaceleram seu crescimento nos últimos três meses e registraram aumento de 15,2% ente julho de 2020 e 2021.

Nessa mesma base de comparação, as exportações para os Estados Unidos aumentaram 75,6% e para a Argentina 54,1%. Na comparação do acumulado do ano até julho, o aumento para as vendas na China foi de 34,1%, nos Estados Unidos, 39,7% e na Argentina, 52,7%. Houve uma redução de US$ 2,2 bilhões no déficit do Brasil com os Estados Unidos.

Na comparação interanual do mês de julho, as exportações aumentaram, em valor, 31,4% e as importações, 53%. No entanto, o aumento em valor nas exportações é atribuído exclusivamente ao aumento nos preços, 44,9%. Nas importações, preços e volume cresceram, mas a variação no volume importado superou 19,6 pontos percentuais a dos preços. Ao longo dos três últimos meses, houve uma tendência de desaceleração nos volumes transacionados, embora menos acentuada para as importações.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.