PATROCINADORES

Brasileiro passou a consumir mais no comércio local durante a quarentena

Uma pesquisa realizada pela Mastercard no fim de 2020, para compreender melhor os hábitos de compras das pessoas após o período de confinamento, revelou que 76% dos brasileiros descobriram e começaram a consumir em pequenos e médios empreendimentos de seus bairros durante o confinamento e 91% continuarão com essa preferência após a pandemia. O principal objetivo é ajudar estes comércios a se recuperarem no cenário pós crise. Além disso, 64% estão ativamente comprando para ajudar as lojas independentes, 87% disseram que os últimos meses os tornaram mais conscientes dos necessitados e 88% revelaram que sentem um maior senso de comunidade agora.

As pequenas e médias empresas possuem um papel vital na economia nacional, mas foram severamente afetado pela crise de saúde pública deste ano, segundo o Sebrae, a estimativa é que de 20% a 25% das MPEs fechem por causa da pandemia. “As PMEs desenvolvem um papel fundamental na economia. Incentivar o comércio local, traz benefícios efetivos para a comunidade, que descobre boas opções próximas de suas casas e impulsiona a rotatividade da economia de maneira eficaz”, disse Ana Paula Lapa, vice-presidente de Inovação Produtos da Mastercard para o Brasil e Cone Sul.

“Durante a pandemia, passamos a oferecer alguns serviços gratuitos para PMEs, contando também com a ajuda de parceiros. No Brasil, lançamos a plataforma ‘Aliados Digitais’, para ajudá-los no processo de transformação digital, oferecendo diversos serviços gratuitos. A recuperação da economia começa à nossa porta e nesse momento precisamos agir como agentes de transformações positivas. Quando ajudamos as nossas comunidades, estamos fomentando a economia além do âmbito regional”, completou a executiva.

Dez principais tipos de estabelecimentos locais que esperam uma recuperação pós-confinamento:

• Quitandas;
• Cafés e restaurantes locais;
• Padarias;
• Lojas de roupas independentes;
• Barbeiros/Cabelereiros;
• Açougues;
• Bares locais;
• Bancas de jornais locais;
• Livrarias independentes;
• Casas de Laticínios;
• Lojas de organizações de caridade;
• Lojas de presentes;
• Lojas de ferragens Faça Você Mesmo (DIY).

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 17 =

Pergunte para a

Mônica.