Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Nenhum comentário

Apenas 18% dos brasileiros conseguiram poupar em junho

Apenas 18% dos brasileiros conseguiram poupar em junho

Dados do Indicador de Reserva Financeira da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelam que em junho apenas 18% da população brasileira conseguiu poupar. Em média, o valor guardado foi de R$ 520. A maioria (73%) terminou o mês sem nenhuma reserva. A principal justificativa é a renda muito baixa, que inviabiliza sobras para guardar dinheiro (44%). Entre outros motivos apontados, 17% alegam imprevistos, 15% dizem não possuírem renda no momento — provavelmente por estarem desempregados — e 14% reconhecem que há falta de controle ou disciplina sobre os próprios gastos. A poupança continua liderando as aplicações, citada por 64% dos que poupam habitualmente. Guardar dinheiro em casa é a segunda opção, mencionada por 25% dos brasileiros. Em terceiro lugar, aparece a conta corrente (15%); em quarto, os fundos de investimentos (9%); em quinto, a previdência privada (7%); e por último, os CDBs (7%).

Por que é importante
A pesquisa revela que o consumidor brasileiro possui um perfil conservador e pouco atento à rentabilidade. As principais razões apontadas pelos entrevistados foram: facilidade para sacar os recursos, percepção de que têm pouco dinheiro para investir em outras modalidade, conhecimento insuficiente sobre as alternativas disponíveis, hábito de usar modalidades tradicionais e medo de perder dinheiro
Quem ganha
Em um cenário de retomada lenta e gradual da economia, a parcela da população quem mantém o costume de poupar
Quem perde
Consumidores negativados

Envie seu comentário

dezenove − 19 =