Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Nenhum comentário

Ibovespa recua após discordâncias em relação à Previdência

Ibovespa recua após discordâncias em relação à Previdência

O Ibovespa mantém os 98 mil pontos nesta terça-feira (5), mas opera em baixa após membros do governo Bolsonaro demonstrarem divergências em relação a alguns pontos da reforma da Previdência, que teve a minuta do texto preliminar publicada pelo Estadão, na segunda (4). Às 11h22, o índice recuava 0,40%, aos 98.191 pontos, um dia depois de ter subido 0,74%, fechando aos 98.589 pontos.

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que Jair Bolsonaro não concorda com a proposta de igualar a idade mínima para homens e mulheres se aposentarem, como consta no projeto, e disse ter a mesma opinião do presidente. Ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni afirmou em entrevista à CBN que o texto elaborado pela equipe econômica ainda vai passar por uma série de mudanças até chegar ao Congresso. Na segunda, Onyx esclareceu que Bolsonaro é quem vai dar a palavra final sobre a reforma.

Entre as cinco ações mais negociadas do pregão, duas registravam alta: Vale (0,60%) e BRF (3,71%). Os papeis do Itaú Unibanco (-2,62%), preferenciais da Petrobras (-0,50%) e Bradesco (-0,35%) operavam em queda. O Itaú perde valor de mercado após divulgar o balanço do quarto trimestre de 2018, que registrou lucro líquido de R$ 25,7 bilhões, um pouco abaixo do projetado pelo mercado.

O dólar comercial era negociado por R$ 3,67, em avanço de apenas 0,04% na comparação com a sessão anterior.

Por que é importante
O Ibovespa deve oscilar conforme a discussão em torno da reforma previdenciária avance
Quem ganha
As ações da BRF registravam a maior alta do dia: 3,71%, cotadas a R$ 24,58
Quem perde
As ações do Itaú Unibanco registravam a maior baixa do dia: 2,62%, cotadas a R$ 38,65

Envie seu comentário

1 × quatro =