Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Nenhum comentário

Ibovespa encerra em queda e volta a operar abaixo dos 75 mil pontos

Ibovespa encerra em queda e volta a operar abaixo dos 75 mil pontos

Após abrir em alta, chegando à máxima de 75.895 pontos (valorização de 1,17%) às 10h36, o Ibovespa inverteu o movimento, fechando a terça-feira (10) em queda de 0,20%, aos 74.862 pontos. Durante a manhã, a bolsa subiu para “alcançar” a alta na segunda-feira das ADRs (ações brasileiras negociadas nas bolsas nos Estados Unidos), enquanto no Brasil a B3 não houve pregão por conta do feriado. Segundo o analista de investimentos Carlos Soares, a bolsa pode passar por novas correções por conta do cenário eleitoral.  “Passada a Copa do Mundo, o cenário eleitoral começa a pressionar o Ibovespa”, disse. Além disso, a revisão para baixo do PIB de 1,55% para 1,53%, e o aumento da expectativa de inflação, de 4,03% para 4,17%, levam os analistas a diminuir as projeções de lucros das empresas e, consequentemente, o preço das ações. A queda no Ibovespa também foi motivada pela brusca queda no dólar – a moeda americana encerrou em baixa de 1,74%, cotada a R$ 3,79 – piorando o desempenho de empresas exportadoras como Suzano (-5,11%) e Fibria (-2,36%). Entre as cinco ações mais negociadas do dia, fecharam em queda as ações da Vale (1,61%), Bradesco (1,31%) e os papéis preferenciais da Petrobras (1,06%). Subiram as ações da B3 (2,85%) e do Itaú (0,26%).

Por que é importante
A alta da inflação pode levar o Banco Central a aumentar os juros, o que puxará para baixo a bolsa brasileira
Quem ganha
As ações da Braskem registraram a maior alto do dia (6,58%), cotadas a R$ 52,63
Quem perde
As ações da Suzano registraram a maior baixa do dia (5,11%), cotadas a R$ 43,31

Envie seu comentário