Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Nenhum comentário

Fintech aposta no conceito de cashback para conquistar cliente

Fintech aposta no conceito de cashback para conquistar cliente

Fazer uma compra no cartão, receber uma porcentagem do dinheiro de volta, usar esse valor para fazer uma nova aquisição e assim por diante, quantas vezes a pessoa quiser. O “cashback”, bem difundido na Europa e nos Estados Unidos, começa a fazer a cabeça do consumidor brasileiro que utiliza cartão pré-pago. A afirmação é de Massimo Tiso, CEO do Grupo QUI! no Brasil. “Vai ser a palavra da moda”, afirma Massimo. O executivo explica que a porcentagem de retorno nessa modalidade pode variar de 1% a 20%. “Se você usa o cartão com inteligência econômica, no fim do ano terá quase um salário a mais.”

A QUI! quer aproveitar o crescimento do interesse pelo “cashback” e mira o público que está na escola ou na universidade para ampliar sua rede de clientes no Brasil. “A nossa meta fundamental é acompanhar e fidelizar esse público jovem pela vida inteira. Por isso, estamos colocando no mercado o YCard, que une no mesmo plástico o cartão pré-pago e a carteira de estudante”, diz o executivo. O CEO defende ainda que o produto pode ter uma função social. “Queremos difundir entre as novas gerações a cultura financeira. Ensinar o jovem a cuidar melhor do próprio dinheiro.”

Por que é importante
Massimo Tiso diz que a aquisição do cartão pré-pago não exige análise de crédito, o que permite a inserção no mercado de pessoas que não têm conta bancária
Quem ganha
Na avaliação do CEO do Grupo QUI!, o YCard colabora com a segurança da carteira do estudante, protegendo-o contra fraudes
Quem perde
Empresas financeiras tradicionais sem opções de serviços flexíveis aos clientes

Envie seu comentário

20 + 1 =