Document
PATROCINADORES

Exame: recrutadora de CEOs faz esta pergunta no fim da entrevista de emprego

Não existe uma receita de bolo para criar uma carreira de sucesso, mas ainda assim é possível encontrar alguns sinais por trás da resposta para a pergunta: O que é sucesso para você? E é por isso que a recrutadora e fundadora da consultoria INWI, Fátima Zorzato, gosta de terminar as entrevistas de emprego com diretores e CEOS com a questão.

Após anos de experiência entrevistando profissionais para cargos de alta liderança na empresa, a especialista de RH começou a enxergar alguns padrões e características em comum na carreira das pessoas bem-sucedidas.

Com essas reflexões, Zorzato está lançando seu livro “O QUE FAZ A DIFERENÇA – As características e oportunidades que criam o grande líder”. E ela foi convidada do podcast Entre Trampos e Barrancos da semana.

Segundo ela, o sucesso não é conceitual, mas individual; e ele também se transforma ao longo da vida da pessoa. No início da carreira, é mais comum que as pessoas respondam que o sucesso é estar sempre avançando e conquistando novas coisas. Para quem está no topo, o foco vira outro. “Eles remetem para outras coisas, mais emocionais ou afetivas”, fala ela.

Para Geraldo Rufino, presidente da JR Diesel, nascer e ter novos oportunidades para aproveitar cada dia já é uma dádiva. Enquanto o sucesso é relativo. “Eu nasci com sucesso”, conta ele no podcast Como Cheguei Aqui.

Em seu perfil do LinkedIn, a recrutadora fez uma pesquisa sobre o tema e cerca de 1.500 responderam. Uma resposta comum que surgiu foi a relação de sucesso com a sorte.

Em outro episódio do podcast da Exame, Rubens Ometto, dono do Grupo Cosan, fala sobre o tema: “Muita gente vê você em certa posição e acha que tudo que acontece com você caiu de mão beijada. Que não te custou sacrifícios na vida pessoal, que não teve que abrir mão de certas coisas para se concentrar naquilo que acha que tem que ser feito”.

Ometto conta que uma vez comentaram com sua mãe que ele tinha sorte – e ela ficou espantada pela pessoa desconhecer os bastidores do trabalho e sacrifícios de liderar uma empresa.

Sobre a relação de sucesso e sorte, ele usa as palavras do jogador de golfe Gary Player: “Quanto mais eu treino, mais sorte eu tenho”.

Sobre o fator de sorte, a recrutadora acredita que existe um componente importante no sucesso das pessoas. “A sorte de passar parte de pessoas que conseguem enxergá-las e ajudá-las. Tem gente que vê o ponto especial que você tem”, explica ela.

Trabalho duro e gratidão são dois pontos importantes para grandes líderes. Na sua investigação sem fim sobre o sucesso, Zorzato resume o que observou na prática como: o sucesso costuma ser uma escada e um equilíbrio. A escada é o avanço gradual pessoal, de carreira ou de um propósito. O equilíbrio é com suas relações e emoções.

“As pessoas têm mais sucesso quando estão mais felizes e são mais felizes quando estão com pessoas que gostam delas. Já conheci duas pessoas na vida, dois grandes executivos, que não conseguir tirar ninguém deles. São poucas pessoas que fazem as pessoas se fixarem assim”, fala ela.

Na entrevista de emprego, a resposta ao questionamento sobre sucesso revela como os profissionais enxergam seu progresso, aprendizados, propósito e relacionamentos. O primeiro passo para ter uma visão do que funciona para você é o autoconhecimento, como recomenda a especialista.

Por Luisa Granato

Publicado originalmente em https://exame.com/carreira/recrutadora-de-ceos-faz-esta-pergunta-no-fim-da-entrevista-de-emprego/

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.