PATROCINADORES

Roubo de carga no Brasil gerou prejuízo de R$ 1,2 bi em 2020

São Paulo concentra 80% dos crimes no país. Produtos mais visados são eletroeletrônicos, cigarros, produtos farmacêuticos, têxteis, autopeças e combustíveis

Mesmo com a pandemia de coronavírus atingindo seus ápices em 2020, o setor de transporte e logística do Brasil enfrentou desafios com os índices criminais. O roubo de carga no país gerou um prejuízo às empresas de mais de R$ 1,2 bilhão, segundo estudo da Associação Nacional do Transporte de Cargas & Logística (NTC&Logística).

Ao todo, houve 14.150 registros de ocorrências em rodovias e áreas urbanas do país. Apesar de alta, e com um cenário preocupante, a quantidade de roubos de carga representa uma queda de 23% em relação a 2019, quando foram registrados 18.400 casos.

São Paulo concentra 80% dos roubos de carga no país. Dados da Secretaria de Segurança Pública apontam que o maior estado brasileiro andou contrário ao restante do país com maior índice de aumento nesse tipo de crime. De janeiro a agosto, ocorreram 4.131 ocorrências. Alta de 4,71% em relação a igual período de 2020.  

As cargas mais roubadas são as de maior circulação nas rodovias: alimentação e têxteis. Já as mais visadas por quadrilhas especializadas são eletroeletrônicos, cigarros, produtos farmacêuticos, autopeças e combustíveis.  

A atividade ilícita se tornou um negócio especializado, com quadrilhas que atuam em todo território nacional e abrangem desde facções criminosas e traficantes, até empresários e os próprios motoristas.

A segurança das rodovias do Brasil é dificultada principalmente pela facilidade de venda dos produtos roubados e a falta de fiscalização e investimentos para melhorar suas condições de infraestrutura. De acordo com a NTC, as abordagens acontecem em paradas de descanso e no período noturno, horário em que as ações policiais se tornam menos efetivas. Entretanto, a maioria dos assaltos ocorre em áreas urbanas.

O que MONEY REPORT publicou

Compartilhe

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pergunte para a

Mônica.

©2017-2020 Money Report. Todos os direitos reservados. Money Report preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe.