Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Nenhum comentário

Decreto que inclui Eletrobras em plano de desestatização sai na quinta

Decreto que inclui Eletrobras em plano de desestatização sai na quinta

Por Leonardo Goy

BRASÍLIA (Reuters) – O governo federal publicará na quinta-feira decreto do presidente Michel Temer que inclui a Eletrobras no Programa Nacional de Desestatização (PND), disse nesta quarta-feira o novo ministro de Minas e Energia, Moreira Franco.

A publicação é uma etapa do processo necessária para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) levar adiante os estudos referentes à privatização da empresa.

No mês passado, o conselho do Programa de Parceria de Investimentos do governo federal (PPI) definiu os papéis da Eletrobras, do Ministério de Minas e Energia e do BNDES no processo de privatização.

Ao BNDES caberá contratar consultorias especializadas para realizar os estudos econômicos e financeiros para a desestatização.

Em seu discurso na transferência de cargo, Moreira Franco reforçou que o trabalho no ministério será de continuidade da agenda que já estava em andamento com Fernando Coelho Filho, com destaque para a privatização da Eletrobras.

A fala sobre a continuidade ocorre em momento em que parte do mercado demonstrou receio sobre o avanço dos planos de privatização.

Com Moreira Franco no ministério, o processo de privatização no Congresso ficaria mais difícil, disse o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Ele afirmou à Reuters que a articulação do novo ministro na Câmara “não é boa”.

O novo ministro não comentou a declaração de Maia durante sua fala na cerimônia. Ele não concedeu entrevista.

Moreira Franco citou também outras ações do ministro anterior que ele pretende continuar, como o novo marco do setor elétrico e o novo código de mineração.

“Teremos um novo marco do setor elétrico, para dar segurança jurídica”, disse. “E teremos o marco legal da mineração”, acrescentou.

MINERAÇÃO

Moreira Franco disse que o secretário de Geologia e Mineração da pasta, Vicente Lôbo, permanecerá no cargo e reforçou que a equipe do ministério trabalhará no “espírito da continuidade”.

Informações publicadas na mídia davam conta de que Lôbo poderia deixar o cargo com a troca do comando do ministério. Mas, segundo o novo ministro, Lôbo está confirmado no cargo.

“Seus secretários agora são meus secretários”, disse Moreira a Coelho Filho, durante a solenidade de transmissão de cargos.

Na troca dos ministros, porém, Paulo Pedrosa deixou o cargo de secretário-executivo e foi substituído por Márcio Félix, ex-secretário de Óleo e Gás.

Para o lugar de Félix, o escolhido foi João Vicente Vieira, que era diretor da área de exploração e produção da secretaria.

(Por Leonardo Goy)

tagreuters.com2018binary_LYNXMPEE3B00C-VIEWIMAGE

Envie seu comentário

três × 3 =