PATROCINADORES

Argentina se aproxima de acordo de troca de moedas com China, diz banco central

BUENOS AIRES (Reuters) – A Argentina se aproxima de um novo acordo de troca de moedas com a China que adicionará o equivalente a 9 bilhões de dólares às reservas do país sul-americano, disse o banco central argentino neste domingo.

Argentina e China concordaram com um programa de troca de moedas em 2009 para impulsionar as reservas cada vez menores do país sul-americano sob a ex-presidente Cristina Fernandez. No ano passado, o governo de centro-direita do presidente Mauricio Macri e da China concordaram em estender o programa por mais três anos.

A expansão de 9 bilhões de dólares no programa de troca foi relatada pela primeira vez pelo jornal local La Nación. “Uma expansão de 9 bilhões de dólares no ‘swap’ com a China está praticamente fechada”, disse Guido Sandleris, em entrevista ao La Nación publicada neste domingo.

Um porta-voz do banco central confirmou a fala de Sandleris.

O valor sob negociação é superior aos 4 bilhões de dólares reportados pela mídia local em agosto.

Sandleris foi nomeado novo chefe do banco central da Argentina na terça-feira, depois que seu antecessor inesperadamente renunciou no meio de negociações com o Fundo Monetário Internacional (FMI) por um empréstimo de mais de 50 bilhões de dólares.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − 9 =

Pergunte para a

Mônica.