PATROCINADORES

“Tenho que cumprir a ordem”, diz Sérgio Moro sobre prisão de Lula

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato, participou na noite desta segunda-feira (26) do programa Roda Viva, da TV Cultura. Foi a primeira entrevista ao vivo de Moro desde o início da operação em 2014. Entre os assuntos, o juiz falou sobre a condenação e a eventual prisão do ex-presidente Lula. O magistrado citou que, no acórdão, o TRF-4 já determinou a execução da sentença contra Lula quando estiverem esgotados os recursos na segunda instância. “Sou um cumpridor de ordem. Tenho que cumprir a ordem do Tribunal”, afirmou Moro. “Vamos verificar então se vai chegar esse momento [prisão de Lula], e aí, sim, fazer as reflexões necessárias para que a ordem seja bem cumprida e evitar qualquer espécie de risco ao ex-presidente”, completou o juiz.

Por que é importante

A primeira fase da Lava Jato foi deflagrada em 17 de março de 2014. Desde então, o juiz federal Sérgio Moro virou centro das discussões políticas no Brasil. No Roda Viva, ele contou que não tinha ideia da dimensão que a operação tomaria. "O caso foi crescendo. Siga o dinheiro, siga o rastro. O caso foi simplesmente crescendo, com a Polícia Federal e o Ministério Público seguindo as pistas". Na entrevista, Moro falou ainda sobre o apoio popular: "As pessoas que saíram à rua em 2015 e 2016 fizeram uma grande diferença. Tinham bandeiras diversas: insatisfação com a economia, insatisfação com o governo anterior, mas havia algo comum contra a corrupção e apoio à Lava Jato"

Quem ganha

Moro refletiu sobre seu trabalho nos quatro anos da operação: "Posso não ter acertado sempre, mas eu sempre agi com a pretensão de fazer a coisa certa. Infelizmente, por conta de ilusões, ou paixões, ou politização que acontece fora das cortes de Justiça, algumas pessoas não se conformam com condenações ou absolvições"

Quem perde

Sobre o julgamento em andamento no STF do pedido de habeas corpus protocolado pela defesa de Lula, que pode livrar o ex-presidente da cadeia, Moro disse: "Espero que o STF tome a melhor decisão". O juiz, no entanto, acrescentou que a prisão em segunda instância vai além da Lava Jato. "Tem peculatos milionários, desvios de dinheiro da saúde e da educação, que fazem muita falta para a população, e outros casos, como estupradores e pedófilos. Isso só no meu local de trabalho. Passaria uma mensagem errada, no sentido de que não cabe mais avançar"

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × cinco =

Pergunte para a

Mônica.