PATROCINADORES

Suposto operador do PSDB descarta fazer delação premiada

O engenheiro Paulo Vieira da Silva, ex-diretor da Dersa e apontado como operador de propinas do PSDB, descartou fechar acordo de delação premiada com a Justiça. Segundo a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, a decisão foi tomada depois que Paulo Preto, como é conhecido, foi solto na semana passada por conta de um habeas corpus concedido pelo ministro Gilmar Mendes, do STF.

Por que é importante

Paulo Vieira de Souza poderia colaborar com os trabalhos da Lava Jato em São Paulo, que apura desvios em obras do governo do estado que teriam abastecido campanhas do PSDB

Quem ganha

Paulo Preto, que está em liberdade, e os tucanos, que podem dormir mais aliviados

Quem perde

A Procuradoria da República em São Paulo, sem as informações que o engenheiro poderia repassar

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + seis =

Pergunte para a

Mônica.