Document
PATROCINADORES

Rabugento, impaciente e agressivo: o velho Joaquim Barbosa está de volta

Nos 11 anos em que atuou como ministro do STF, Joaquim Barbosa colecionou atritos e ganhou a justa fama de autoritário. Num dos embates mais conhecidos, disse que o colega de corte Gilmar Mendes não estava falando “com seus capangas”. Em outra ocasião, se incomodou com a pergunta de um repórter e mandou o profissional ir “chafurdar no lixo”. Com presenças esporádicas na mídia desde que se aposentou do Supremo, em julho de 2014, Barbosa voltou aos holofotes nesta semana como pré-candidato à Presidência da República pelo PSB – para mostrar que continua o mesmo de sempre. Em um evento promovido por seu partido, evitou o contato com uma militante do movimento negro q ue o aguardava (“Sei que ela é candidata e está querendo aparecer na foto”, desprezou) e ironizou a pergunta de uma jornalista do Estadão que queria saber se a demora dele para assumir a candidatura não o prejudicaria. “Who cares?”, respondeu em inglês.

Por que é importante

Joaquim Barbosa vai precisar de traquejo com o eleitor caso realmente queira ser candidato. Impaciência e autoritarismo não ganham votos

Quem ganha

Os demais presidenciáveis. Com base na mais recente pesquisa Datafolha, o ex-ministro do STF disputa uma vaga no segundo turno

Quem perde

Barbosa, que poderá pagar preço alto pela rabugice

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.