Document
PATROCINADORES

Desaprovação a Bolsonaro sobe para 64%. Reprovação de Alckmin se mantém em 70%

A pesquisa Barômetro Político Estadão-Ipsos, que todos os meses analisa a opinião dos brasileiros sobre personalidades do mundo político, traz uma novidade: depois de três meses de estabilidade, a desaprovação ao pré-candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) subiu de 60% para 64%, enquanto a aprovação caiu de 23% para 20%. Em relação aos demais postulantes ao Planalto, a situação se mantém praticamente inalterada. Pior para Geraldo Alckmin, do PSDB, que tem os índices de reprovação mais altos: 70%, enquanto apenas 18% o aprovam

Por que é importante

O Ipsos inclui na pesquisa o nome de concorrentes ao Planalto, mas não mede intenção de voto. Os entrevistados respondem a seguinte pergunta: “Vou ler o nome de alguns políticos e gostaria de saber se o (a) senhor (a) aprova ou desaprova a maneira como eles vêm atuando no país.” O estudo é importante porque pode ser visto como um termômetro dos níveis de popularidade dos candidatos

Quem ganha

Uma eventual candidatura presidencial de João Doria. Segundo o Estadão, o nome do ex-prefeito de São Paulo foi discutido em jantar entre Aécio Neves, Michel Temer e Rodrigo Maia

Quem perde

Além de Bolsonaro e Alckmin, o ex-presidente Lula. A desaprovação do agora presidiário cresceu de 52% para 54%. Todos os políticos tradicionais estão em xeque, com elevados níveis de rejeição

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Uma resposta

  1. Estranho como uma chefe de quadrilha, corrupto, manchete negativa durante telejornal JN inteiro, consegue essa aprovação(ainda mais estando preso). Ou a pesquisa é manipulada ou o povo percebeu que sua Excelência Sérgio Moro é um MANIPULADOR?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.