PATROCINADORES

OMS declara emergência global para a varíola dos macacos

Só a covid e a poliomielite possuem o mesmo status. Conheça os sintomas e como ocorre a transmissão

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou neste sábado (23) que o surto da varíola dos macacos é uma emergência global. Em pronunciamento nesta manhã, em Genebra, na Suíça, Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, declarou uma “emergência de saúde pública de interesse internacional”, uma designação que a OMS utiliza para descrever apenas duas outras doenças: a covid-19 e a poliomielite.

Com a declaração, a OMS indica uma crise de saúde pública global e a necessidade de um movimento internacional coordenado para conter o surto. Como resposta, é esperado que países membros invistam no controle da doença e no compartilhamentos de vacinas, tratamentos e outros recursos para evitar que a doença se espalhe ainda mais. É a sétima vez desde 2007 que a OMS declara emergência de saúde pública, sendo a covid-19 a mais recente. A varíola dos macacos se espalhou por dezenas de países nas últimas semanas e já infectou dezenas de milhares de pessoas no mundo todo – inclusive no Brasil.

A decisão da OMS anula o painel anterior dos seus conselheiros da entidade, que em junho não chegaram a um consenso sobre o surto da doença – na época, o número de infectados era cinco vezes menor do que o atual. A situação, segundo o próprio Adhanom , reforça a necessidade de aprimoramento das definições dos eventos podem ser considerados emergências internacionais de saúde pública. “Temos um surto que se espalhou rapidamente pelo mundo por meio de novos modos de transmissão, sobre os quais entendemos muito pouco e que atendem aos critérios” para uma emergência de saúde pública, disse o dirigente.

A varíola dos macacos é transmitida pelo vírus monkeypox, que pertence ao gênero orthopoxvirus. É considerada uma zoonose viral (transmitida aos humanos a partir de animais) com sintomas muito semelhantes aos da varíola, embora menos grave.

Sintomas
De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, incluem:

  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Dor muscular;
  • Dor nas costas;
  • linfonodos inchados
  • Calafrios;
  • Exaustão;
  • Suor noturno;
  • Sintomas gripais, como congestão e coriza;
  • Inchaço na virilha;
  • Erupções cutâneas.

Sequelas
Costumam não deixar nenhuma sequela grave, apenas lesões que podem se tornar marcas após a cicatrização, como ocorria com a varíola e ocorre com a catapora.

Transmissão
O contato com o vírus (um dos mais conhecidos e é visível no microscópio eletrônico) se dá por meio de pessoas infectadas e objetos contaminados, geralmente de uso pessoal do doente.

Duração
O intervalo entre a exposição ao vírus e o início dos sintomas é de cerca de 10 dias. A duração dos sintomas é geralmente de duas a quatro semanas.

Riscos
Antes do surto atual, até 3% dos casos identificados e sem tratamento terminavam em morte. Para crianças, o risco de agravamento e morte é maior.

Vacina
Não há um imunizante específico. As vacinas contra a varíola contendo vaccinia (causador da varíola das vacas) podem fornecer cerca de 85% de eficácia contra a varíola dos macacos. Há estudos em busca de uma vacina específica.

Testes

  • Elisa;
  • PCR;
  • Teste de detecção do antígeno.

O que MONEY REPORT publicou

Compartilhe

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pergunte para a

Mônica.

©2017-2020 Money Report. Todos os direitos reservados. Money Report preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe.